Você sabe como acontece a evolução da cárie na criança?
Cárie é uma doença que não aparece do dia para a noite. “Meu filho dormiu sem cárie e acordou com cárie”. Isso não existe. A doença tem uma evolução, ou seja, passa por alguns estágios. A odontopediatra Dra. Sílvia Helena Spechoto ressalta que é importante que os pais entendam como isso acontece para que a prevenção possa ocorrer corretamente.

Publicidade

Para que o processo de cárie aconteça são necessários alguns “ingredientes”: dente; biofilme, que consiste na sujeirinha grudada ao dente riquíssima em micro-organismos, dos quais não há como se livrar; e uma dieta rica em sacarose, que é o açúcar presente em vários alimentos consumidos, principalmente pelas crianças.

“Quando esses ingredientes se encontram, existe a formação de um ácido que desmineraliza o dente, ou seja, enfraquece o esmalte que o protege. Quanto maior a frequência de consumo deste tipo de alimento, quanto mais tempo ficar em contato com o dente, maior será a perda de minérios por este dente”, alerta a Dra. Sílvia.

Nesse estágio aparece a “mancha branca”, primeiro sinal de cárie. Não provoca dor e dificilmente é vista pelo responsável que faz a higienização na criança, pois para que ela seja visualizada é preciso que o dente esteja devidamente limpo, seco e muito bem iluminado.

Aqui vem uma boa notícia: é possível tratar a mancha branca por meio de fluorterapia e reverter a situação. “Conseguimos remineralizar essa região do dente”, informa a Dra. Sílvia. Por outro lado, se a mancha branca não for tratada, o esmalte do dente continua se desmineralizando até que quebre, aparecendo então o “buraquinho da cárie”. “Vale lembrar que nem toda mancha branca que existe no dente é de desmineralização. Por isso é importante a avaliação de um odontopediatra”, esclarece.

Prevenção

A Dra. Sílvia pontua que o que vai causar cárie no seu filho não é o brigadeiro do aniversário do coleguinha, não é o chocolate que a vovó dá depois do almoço de domingo, mas sim o consumo frequente e diário desses alimentos, considerados cariogênicos. “Vale reforçar: quanto mais vezes e maior tempo o dente for exposto a eles, maior será o prejuízo. É importante que as crianças tenham hora para comer, evitando assim ficarem ‘beliscando’ o tempo todo”, ensina a especialista.

Aliado a essa medida está o cuidado com a higiene bucal. Quando aparecer o primeiro dentinho do bebê, é hora de iniciar a escovação com pasta fluoretada, ficando atenta à quantidade que será usada, o que vai depender da idade da criança.
Esse conteúdo foi feito em parceria com

Dra. Sílvia Helena Spechoto


Conheça mais dele