Recém-nascidos: tire suas dúvidas
Aquele ser tão pequenino e perfeito acabou de chegar para mudar completamente sua vida. Vocês estão se conhecendo e, de repente, a observação proporciona situações que comumente preocupam as mamães, como a moleira, o choro contínuo, soluços ou espirros repentinos, surgimento de espinhas, entre outras.

Publicidade

Em entrevista, a pediatra com ênfase em nutrologia pediátrica Dra. Denise Lellis esclarece que são circunstâncias comuns, que requerem alguns cuidados. Nesse sentido, o Manual da Mamãe selecionou as dúvidas mais frequentes e a médica indica cuidados e soluções envolvendo cada uma dessas questões:

Quais cuidados devo ter com as moleiras do bebê? Posso tocá-las?

As fontanelas, nome oficial das “moleiras”, são aberturas no osso do crânio do bebê separadas por linhas também abertas, chamadas suturas. As funções de ambas são facilitar o momento do parto, possibilitando, assim, a passagem do bebê pelo canal vaginal ou pela incisão da cesárea, sem agredir o cérebro do bebê. As fontanelas também permitem o crescimento adequado do cérebro do bebê, principalmente nos primeiros meses de vida.

A principal fontanela chamada de bregmática ou frontal fica na parte anterior do crânio do bebê e é a maior e a que mais preocupa os pais. Os pais devem tocá-la e conhecer seu tamanho e consistência já que alterações da fontanela podem indicar problemas neurológicos no bebê. A cabecinha do bebê como um todo deve ser protegida, principalmente de movimentos bruscos e traumas (batidas).

Em quanto tempo o coto umbilical deve cair?

No início o coto umbilical tem um aspecto gelatinoso, mas em 24 horas já fica escuro e mais endurecido. Em geral, o coto umbilical cai depois de 7 a 15 dias de nascimento. Até lá, deve-se fazer limpeza do coto e da pele ao redor com álcool 70% em toda troca de fraldas. Não se deve colocar nada sobre ele, nem enfaixar a barriguinha do bebê, pois isso aumenta o risco de infecções e sangramentos. Se o coto umbilical demorar para cair, se houver sangramento importante, odor forte, vermelhidão local ou inchaço, o pediatra deve ser avisado com urgência.

Sangue na fralda da menina pode ser comum nos primeiros dias de nascida? Por quê?

Sim. As meninas podem receber hormônios da mãe durante a gestação e esses hormônios podem causar um sangramento parecido com menstruação. Apesar de assustar muito os pais nada deve ser feito. Este sangramento em geral é pequeno, dura poucos dias e não volta a acontecer. De qualquer forma, o pediatra sempre deve ser consultado nesses casos.

É comum que o recém-nascido faça cocô logo depois da mamada? Qual o correto aspecto das fezes do bebê?

Muito comum. Assim como os adultos, os recém-nascidos apresentam um reflexo intestinal que se chama reflexo gastrocólico. Logo que o estômago se enche, o intestino começa a funcionar rapidamente, como se o organismo tivesse a “intenção” de esvaziar mais rápido o intestino e possibilitar mais mamadas. Em geral, as fezes são muito amolecidas ou até líquidas e as cores variam de verde escuras a marrons, sendo mais comuns os tons de amarelo. Fezes negras ou brancas são sinais de alerta para doenças e os pais devem avisar o pediatra.

Por outro lado, qual a frequência correta para o recém-nascido fazer cocô?

A frequência com que o bebê faz cocô pode variar muito de acordo com o tipo de leite que ele está recebendo e com características individuais. Bebês que recebem leite materno exclusivo podem ter evacuações após cada mamada ou demorar dias para evacuar e isso tudo ser normal. Tudo depende do grau de desconforto do bebê e da preocupação dos pais. Sempre que o bebê ficar mais de dois dias sem evacuar, o pediatra deve ser avisado.

Por que o recém-nascido soluça tanto?

O soluço é uma contração do músculo diafragma que fica logo acima do estômago. Quando o estômago se enche rapidamente de leite ou ar (no caso do choro), o soluço pode ocorrer, mas em geral não incomoda nem causa dor no bebê. Da mesma forma que os soluços chegam, eles se vão, e os pais não têm muito o que fazer. Dar um aconchego no colo e aquecer o bebê ajuda.

Por que eles choram tanto?

O choro é a única maneira que o bebê tem de se comunicar. No início, principalmente para os pais de primeira viagem, o choro do bebê pode gerar angústia e muita ansiedade. Sempre oriento os pais a terem calma neste momento para conseguirem ouvir o que o bebê está querendo dizer.

Espirros constantes em recém-nascidos podem indicar algum problema?

A narina do bebê é fina e delicada, qualquer estímulo (sujeira, resíduo de leite, etc.) pode irritá-la e causar espirros, que acabam sendo uma “tentativa” de desobstruir o nariz e, muitas vezes, dá certo. Os bebês muito pequenos respiram pouco pela boca, logo, qualquer obstrução nasal pode atrapalhar muito a respiração e as mamadas. Aliás, espirros e obstrução nasal devem ser avaliados pelo pediatra sempre que o bebê estiver muito incomodado ou quando as mamadas forem prejudicadas.

É normal que o recém-nascido respire muito rápido? Por quê?

Sim. O bebê tem uma frequência respiratória cerca de três a quatro vezes mais rápida que o adulto. O pediatra sempre deve orientar os pais sobre como avaliar se o bebê está respirando bem ou não. O desconforto respiratório do bebê é mais importante do que o número de vezes que o bebê respira por minuto e os pais precisam estar atentos.

A pele do bebê pode descascar nos primeiros dias após o nascimento? O que isso significa?

Até 40 dias após o parto é muito comum a pele do bebê descascar. Sempre oriento os pais a usarem óleo de massagem como uma boa oportunidade também de acariciar o bebê.