Homeopatia para bebês e crianças
Alvo de ceticismo de um lado e, de outro, tratada como alternativa terapêutica, a homeopatia é uma especialidade reconhecida no país há mais de 30 anos pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Médica Brasileira, e tem indicações tanto em prevenção quanto em tratamento de pacientes de qualquer faixa etária, inclusive bebês e crianças. “Usamos homeopatia na gestação, no recém-nascido, passando pela primeira infância, pré-escolares, adolescentes, adultos jovens, chegando até a terceira idade, sem que nenhum medicamento homeopático tenha sido retirado do mercado”, observa o pediatra e homeopata Dr. Yechiel Moises Chencinski.

Publicidade

De acordo com o especialista, a homeopatia pode ser usada para tratar bebês e crianças tanto em quadros agudos (febres, resfriados, otites, crises de rinite, asma, cataporas, entre outros) como nos crônicos (asma, alergia, depressão). “Em grande parte dos casos, é usada como forma única de tratamento e em outros associada às diversas formas terapêuticas, como alopatia, acupuntura, fitoterapia, acompanhamento nutricional, fisioterápico, etc.”

O tratamento homeopático para bebês e crianças pode ser feito de forma preventiva em um acompanhamento de rotina. A frequência das consultas vai variar de acordo com a idade da criança, seguindo os critérios e orientações da Sociedade Brasileira de Pediatria (uma consulta mensal até seis meses, bimestral até um ano, trimestral até três anos, semestral até cinco anos e anual a partir daí) e de acordo com a necessidade.

Segundo o Dr. Moises, as crianças acompanhadas com homeopatia desde seu nascimento apresentam menos intercorrências de saúde. “E, ainda, o homeopata é um médico que, se sua especialidade de formação for pediatria, pode fazer o acompanhamento tradicional de puericultura (orientação alimentar, vacinas, higiene, etc.) sem nenhum problema”, esclarece.

Consulta

O especialista explica que a consulta com um pediatra homeopata tem duas partes. A primeira é a tradicional, em que o médico conversa com a família sobre todas as questões inerentes à sua especialidade. A segunda é mais voltada a dados que interessam ao homeopata, como questões sociais, emocionais, desejos, aversões e intolerâncias alimentares, sono, ritmo intestinal, humor, entre outros questionamentos. “Aí, o pediatra homeopata examina a criança, pede exames quando necessário, solicita consultas com especialistas se preciso for e orienta seu acompanhamento. A prescrição ou o plano terapêutico inclui a orientação de puericultura (alimentação, vitaminas, vacinas, exames, consultas com especialistas, etc.) e de homeopatia (medicamentos e outras orientações de qualidade de vida).”