Chupeta: vilã para os dentinhos?
A sucção é muito importante para as crianças até dois anos de idade e em algumas delas a necessidade de sucção é maior, daí umas gostarem mais de chupeta ou de chupar o dedo do que outras. Até três anos de idade esses hábitos não causam danos definitivos aos dentes, conforme explica o ortodontista Dr. Guilherme Frigo. No entanto, os maus hábitos bucais, quando presentes em um período prolongado, geram um desequilíbrio na formação das arcadas dentárias. “Esses problemas são, principalmente, a mordida aberta na região anterior e o desequilíbrio anterior entre as arcadas dentárias (maxila e mandíbula)”, afirma o especialista. Confira entrevista completa com o Dr. Guilherme e entenda a relação entre maus hábitos orais do bebê e a formação da arcada dentária:

Publicidade

 

Até que idade a criança pode chupar chupeta e/ou o dedo? Existe a recomendação da chupeta correta para evitar danos à arcada dentária?

Existem estudos científicos que dizem que os hábitos nocivos devem ser eliminados no máximo até os três anos de idade, de maneira tranquila, gradual e com diálogo e combinações. O hábito até essa idade não causa danos definitivos. Na falta de opção entre chupar chupeta ou não, os pais devem optar por uma chupeta com o bico em formato anatômico/ortodôntico, pois ela se adapta melhor à cavidade bucal da criança, devido ao seu formato diferenciado, ajustando-se ao céu da boca e à língua, acompanhando o movimento de sucção. O disco de plástico deve ter formato côncavo, ou seja, voltado para a boca da criança. Outra informação importante aos pais é o de não colocar cordão, corrente ou fralda pendurados na argola da chupeta, pois isso, além de poder gerar um risco de estrangulamento, também causa um aumento de peso na chupeta, provocando maior pressão nas estruturas das cavidades bucais, gerando más-formações durante o crescimento dessas estruturas. Também devem ser observados os tamanhos existentes de chupetas, pois eles devem acompanhar o desenvolvimento craniofacial da criança.

 

Quais as consequências do uso prolongado da chupeta e do hábito de chupar o dedo para a formação da arcada dentária da criança?

O hábito prolongado da sucção de chupeta ou dedo pode causar diferentes problemas de mordida, pois gera um desequilíbrio entre as arcadas dentárias (mordida aberta na região anterior e desequilíbrio anterior entre maxila e mandíbula). Tais consequências vão depender principalmente da duração, frequência e intensidade com que a criança realiza sucção da chupeta e/ou dedo. Além de problemas na deglutição e na fala de alguns fonemas.

 

Qual o papel do ortodontista nesse caso? Ele deve acompanhar periodicamente crianças com maus hábitos?

O papel do ortodontista é acompanhar a evolução das arcadas dentárias desde o nascimento dos primeiros dentes até o término do desenvolvimento do crescimento ósseo. Ele é um profissional que pode diagnosticar problemas de erupções dentárias, de desenvolvimento anterior e transversal de maxila e mandíbula e, no momento oportuno, pode tratar de forma preventiva e interceptativa, para que os problemas decorrentes de maus hábitos não sejam definitivos após a criança chegar ao final do crescimento.

 

Uma vez instalado o problema ortodôntico resultado de maus hábitos, como se dá o tratamento?

Uma vez instalado o problema ortodôntico que pode ser exemplificado por meio de uma mordida cruzada ou uma mordida aberta ou até mesmo uma falta de crescimento anterior de uma das arcadas dentárias, o ortodontista deve intervir com aparelhos ortopédicos, com o intuito de restabelecer o crescimento e a relação corretos entre as arcadas dentárias. Esses mesmos aparelhos podem ser usados com o intuito de dificultar, de alguma forma, o hábito nocivo de sucção de chupeta ou dedo, a fim de que a criança perca também o interesse de continuar com esse hábito. Assim, o aparelho ortopédico pode ser usado como reeducativo e interceptativo no tratamento ortodôntico.

 

Quais os principais aparelhos usados em crianças com problemas ocasionados por maus hábitos orais?

Aparelho fixo ou removível com grade anterior para que possa impedir o uso de chupeta e/ou dedo: faz com que a criança não consiga mais usar a chupeta ou chupar o dedo, dando condições para que o crescimento e o equilíbrio entre as arcadas dentárias sejam novamente restabelecidos.

Aparelho expansor: usado em casos de mordida cruzada posterior. Gera uma expansão transversal das arcadas dentárias, corrigindo a relação correta entre elas.

Arco extrabucal: usado nos casos de crescimento excessivo de maxila no sentido anterior. Por ele atuar na maxila, remodela seu crescimento e deixa a mandíbula livre para expressar todo seu crescimento, gerando novamente o equilíbrio entre as arcadas.

Bionator: usado nos casos de falta de crescimento mandibular no sentido anterior. Atua estimulando esse crescimento mandibular, com o intuito de restabelecimento do equilíbrio entre as arcadas.