Chega de xixi na cama!
Cerca de 10% das crianças, por volta dos 7 anos; 7%, aos 10 anos, e 3%, aos 12 anos, apresentam perda involuntária de urina durante o sono, pelo menos duas vezes por semana, mesmo sem apresentar nenhum problema orgânico no sistema urinário. Mais comum em meninos do que em meninas, essa condição é chamada enurese, popularmente conhecida como “xixi na cama”. “Isso é motivo de grande conflito e sofrimento para a família. Sentimentos de culpa e rejeição e baixa autoestima podem influenciar o desenvolvimento emocional das crianças enuréticas”, avalia a pediatra, especialista em nefrologia Dra. Mariana Faucz Munhoz da Cunha.

Publicidade

A especialista destaca que 90% dos casos não têm origem emocional e que as causas estão fortemente relacionadas à influência genética, especialmente se o pai e/ou a mãe foram enuréticos. “Algumas vezes, a produção do hormônio antidiurético (vasopressina) está diminuída durante a noite e a produção de urina é muito grande neste período. Uma imaturidade do sistema nervoso, por outro lado, impede que o cérebro receba a mensagem da bexiga avisando que está cheia. Desta forma, a criança não acorda e molha a cama”, esclarece o processo a Dra. Mariana.

Quanto ao tratamento, algumas medidas simples fazem toda a diferença, como reduzir a ingestão de líquidos à noite e esvaziar a bexiga antes de dormir. Por outro lado, acordar durante a madrugada e levar a criança ao banheiro não traz nenhum benefício e interfere na qualidade do sono dos pequenos e dos pais.

Em relação às opções terapêuticas, existem várias e a Dra. Mariana ressalta que cada caso deve ser tratado individualmente. Uma opção é o uso de comprimidos de vasopressina sintética que reduz a produção de urina durante a noite. Outra é o condicionamento, com uso de alarme sonoro. Ele é preso na cueca/calcinha e toca quando entra em contato com a urina. O objetivo é condicionar o despertar no momento de bexiga cheia. “E, claro, punições ou constrangimentos são proibidos! Lembre-se: não é de propósito!”

            Recomendações

1) Insista para que fazer xixi seja o último compromisso da criança antes de ir para cama e o primeiro ao levantar-se;

2) Faça com seu filho um calendário contando as noites secas e molhadas;

3) Conte para ele que esta enurese é frequente e que vários colegas tem o mesmo problema;

4) A presença de outros sintomas, como molhar a roupa durante o dia,  urgência para urinar ou infecções urinárias, sugere outros tipos de disfunções miccionais, com tratamentos diferentes.