A primeira vez do bebê no dentista

Entre tantos cuidados que a mulher tem durante a gestação visando a saúde do bebê, um deles pode passar despercebido e até ser subestimado pelas futuras mamães: a visita ao Odontopediatra ainda na gestação. Este é o profissional capacitado para dar as primeiras orientações sobre aleitamento materno, uso de mamadeiras e chupetas, higienização oral, como colocar no berço etc. Assim, a gestante vai se identificando com o profissional que vai acompanhar a infância do seu filho e já vai saber evitar vários hábitos que não são saudáveis, além de já ter sido preparada para a primeira consulta com seu bebezinho. Consulta essa que deve ocorrer por volta dos seis meses de vida, conforme informa a Odontopediatra Dra. Adriana Mazzoni. A seguir, o Manual da Mamãe entrevistou a especialista para detalhar como ocorre esse atendimento e falar sobre a importância da prevenção no atendimento odontológico a crianças.

Publicidade

O que o Odontopediatra explica na primeira consulta com o bebê presente?

Na primeira consulta em que o bebê está presente o Odontopediatra  avalia  a boca e a musculatura orofacial, posição do aleitamento (quando este acontece) ou da mamadeira. Também orienta os pais sobre a erupção dos primeiros dentes e as manifestações clínicas que ocorrem nesse período e a respeito da mastigação que trabalhará toda a musculatura orofacial e cervical do bebê, assim como o desenvolvimento estomatognático (de todo o aparelho orofacial, boca etc.).

Já é feito um exame clínico? Como ele ocorre?

Sim. Ele é feito com palpação do dentista dentro e fora da cavidade bucal. Em alguns casos, é necessário intervenção. Por exemplo, para os bebês que mamam na mamadeira é necessário adequar a posição e a higiene oral. Já para alguns bebês que não conseguem mamar no peito mesmo com toda a correta instrução, às vezes pedimos ajuda a um fonoaudiólogo para a avaliação das funções. Em alguns casos, é necessário que se faça a frenectomia lingual, uma pequena cirurgia de remoção do freio da língua para que o bebê consiga mamar e desenvolver adequadamente a língua e as arcadas dentárias.

A partir daí qual deve ser a frequência dessa consulta?

Cada paciente tem uma frequência a ser definida pelo Odontopediatra. Os bebês que seguem a prevenção odontológica corretamente normalmente retornam a cada 10 meses, mas alguns precisam de ajuda para evitar a instalação de problemas. Para os bebês prematuros, algumas vezes precisamos dar maior atenção ao risco de cárie e desenvolvimento muscular orofacial. Já os que usam mamadeira precisam de maiores cuidados. Então, cada caso deve ser avaliado individualmente e o retorno ocorrerá de acordo com a saúde oral apresentada.

Qual a importância deste trabalho de prevenção?

A prevenção de uma forma geral é a melhor alternativa para termos boa saúde, seja na Medicina ou na Odontologia. O Odontopediatra está capacitado a detectar possíveis problemas antes que eles se instalem. Podemos evitar desde cáries até grandes desvios de rosto e outros tipos de doenças que podem ter consequências difíceis se não forem prevenidas com simples orientações.

Como são os métodos de atendimento a bebês e crianças para que não se intimidem com o ambiente odontológico?

Depende da idade da primeira visita, mas, geralmente, com muito carinho, pouco barulho, fala baixa e conversando sempre com a criança de acordo com a idade dela. Se for bebê recém-nascido, conversamos com os pais e com o bebê explicando quem somos e o que faremos naquele dia. Observamos a amamentação durante a consulta e, para avaliar a cavidade bucal, colocamos a mão na boca do bebê muito gentilmente com cuidado, mas fazendo a investigação necessária. Se a criança já entende, podemos conversar e explicar cada detalhe do consultório e da consulta de forma lúdica para que ela não se assuste com os novos procedimentos. Por esse motivo, o ideal é que a criança se acostume desde cedo a visitar o Odontopediatra. Não é recomendável que a primeira visita aconteça no dia em que ela sofra uma queda ou tenha cárie ou outro problema que não seja tão agradável de tratar, porque fica mais difícil tirar esta primeira impressão ruim. Por mais cuidado que o Odontopediatra tenha, não é tão confortável ser atendido com um problema do que se for para a prevenção.

Quais os principais problemas odontológicos da infância?

Um dos problemas mais comuns no dia a dia do consultório do Odontopediatra é a dificuldade de aleitamento materno por algum problema físico, por exemplo o freio lingual muito curto ou muito grosso que impede a língua de retirar adequadamente o leite do peito e pode machucar bastante o bico do peito da mãe. Também podemos prevenir com consultas desvios musculares e ósseos devido a hábitos inadequados. Cáries e problemas gengivais são muito comuns e o tratamento é o convencional. Já o tratamento de canal em dentes de leite atualmente diminuiu bastante, mas ainda encontramos alguns casos de necessidade de tratamento devido à cárie ou por causa de traumatismo dentário. É comum também casos em que o dente permanente nasce sem que caia o dente de leite equivalente e, nesses casos, precisamos extraí-los.