A importância do pediatra na vida da criança
Mais que um suporte fundamental em orientações técnicas sobre amamentação, vacinação e alimentação, e soluções de eventuais problemas de saúde, o papel do pediatra é crucial também como um aparato emocional aos pais do recém-nascido, colaborando para a harmonia familiar e, assim, proporcionando um desenvolvimento infantil saudável. Para a pediatra Dra. Walkyria Chianca, esse apoio é necessário principalmente na primeira noite depois da alta hospitalar, quando eles se deparam com a nova responsabilidade de cuidar por si só do bebê.

Publicidade

“Por saber que a ansiedade dos pais afeta o emocional do bebê, o pediatra deve sempre estar atento a fornecer o adequado suporte emocional”, reforça a médica. Depois da conversa sobre essa questão, a Dra. Walkyria conta que seu papel é incentivar a mãe a amamentar e a alimentar-se adequadamente e orientar os pais quanto à vacinação, o tipo de roupa, os produtos que podem ser usados e, enfim, tudo o que diga respeito e que seja de suma importância para o início da vida não somente do bebê, mas de toda a família.

“Se o pediatra consegue deixar os pais menos ansiosos, a mãe se sentirá mais apoiada e, certamente, terá maior facilidade para amamentar, pois o leite fluirá generosamente e o bebê dormirá melhor. Nesse ambiente harmônico, a paz e a alegria certamente estarão presentes no lar”, analisa. E, assim, esse apoio prossegue por anos e anos. Nada como ter alguém em quem confiar a saúde das crianças. Companheiro de todas as horas, o pediatra se torna um amigo da família, que faz – sem substituir – o papel de pai, irmão, amigo, tio, avô...

“O pediatra orienta a família nos momentos mais críticos, sempre fomentando a reconciliação que ajuda a manter a paz, a harmonia e até mesmo a alegria familiar! O pediatra é aquele que será sempre, e principalmente, lembrado por ter compartilhado das longas noites ou dos fins de semana, dos Natais, dos Réveillons de febres e diarreias, vômitos e tosses intermináveis”, reitera a Dra. Walkyria.

A escolha

Os primeiros anos de vida de um bebê são determinantes para o seu futuro, por isso escolha bem o pediatra que irá acompanhá-lo. Ele deve ser parceiro dos pais no acompanhamento do desenvolvimento saudável da criança. Leve em conta a indicação de outros pais, a disponibilidade de atendimento, sua impressão pessoal e o quanto se sente à vontade com o profissional. Nesta relação deve ocorrer um conforto imediato para a mãe, já que no início existem muitas dúvidas e elas precisam ser bem esclarecidas. “Saber que existe um celular que atenderá a qualquer hora, nenhum cartão de crédito paga”, compara a Dra. Walkyria, que afirma, ainda, se sentir lisonjeada em ter tantos pequenos como parte de sua própria família.