Você já fez o seu plano de parto?
Decisões para questionamentos importantes fazem parte do Plano de Parto. Inicialmente difundido nos EUA, o plano é uma carta com uma lista de itens, em que você, mamãe, poderá refletir sobre como prefere passar pelas diversas fases do trabalho de parto e como deseja que seu bebê seja cuidado após o nascimento. Para esclarecer mais sobre esse assunto, conversamos com a ginecologista Dra. Caren Cupertino:

Publicidade

 

O que é o Plano de Parto?

É uma lista de itens relacionados ao parto, por exemplo: como e onde você quer ter o seu bebê, quais os procedimentos médicos que você aceita, quem vai acompanhar seu parto. É um planejamento do pré, trans e pós-parto. Funciona como uma carta de recomendações de como gostaria que fosse o momento mais importante da vida do casal: o nascimento do seu filho.

 

O que ele pode evitar e quais os benefícios em fazê-lo?

A principal função do plano de parto é exatamente evitar imprevistos e discutir com o seu médico sobre cada etapa do parto. Esse processo de questionamento e planejamento leva à gestante a pensar e conhecer sobre cada momento do parto, partilhando suas expectativas e preferências para a equipe que irá lhe acompanhar.

 

O que pode e deve constar no meu Plano de Parto?

Tudo. Desde onde será realizado o parto até os procedimentos de praxe de seu obstetra tais como: sua alimentação no dia do parto, exercícios que  pode fazer, rompimento ou não da bolsa, raspagem ou não dos pelos pubianos, infusão ou não de soro, episiotomia (corte) do períneo ou não, enfim todas aquelas dúvidas que ficaram para a última hora e que não são esclarecidas em um pré-natal sem a elaboração do plano de parto.

 

Preciso do auxílio do meu médico para elaborá-lo?

É importantíssimo que fique claro que o Plano de Parto é uma escolha da paciente. Tendo como objetivo humanizar o parto, afinal a segurança que o médico proporciona age como atenuante da dor. Desde a primeira consulta, a futura mamãe pode começar a planejar e se informar sobre o processo do parto. Muitas pessoas poderão ajudar nesse planejamento, o pai, a doula, outras gestantes e mamães que já passaram por essa experiência. No caso do seu médico, seu papel é fundamental na orientação e fornecimento de dados para finalizar o Plano de Parto.

 

Para um exemplo prático, abaixo está um Plano de Parto fictício, elaborado por uma paciente:

“Estamos cientes de que o parto pode tomar diferentes rumos. Abaixo listamos nossas preferências em relação ao nascimento do nosso bebê, sempre que os planos não puderem ser seguidos, gostaríamos de ser previamente avisados e consultados a respeito das alternativas.

Trabalho de parto: Presença do meu marido e doula/Sem perfusão contínua de soro/Liberdade de beber água e sucos quando tolerado/Liberdade para caminhar e movimentar/Liberdade para uso de banheira ou chuveiro/Monitoramento fetal apenas quando necessário e não contínuo/Analgesia quando pedir e achar necessário.

Parto: Prefiro cócoras ou cócoras sustentada/Aceito outras sugestões, caso as posições acima não funcionem/Prefiro fazer força quando tiver vontade/Pai cortará o cordão umbilical depois de parar de pulsar/Aguardar a expulsão da placenta com o auxílio da amamentação/Caso a cesárea seja necessária, gostaria da presença do meu marido e da doula/Anestesia peridural sem sedação/gostaria de ver a hora do nascimento com rebaixamento do protetor/amamentação o quanto antes.

Agradeço a compreensão da equipe envolvida por participarem desse momento importante para a nossa família.”