Parto humanizado: tudo como a mulher deseja
Respeito. Essa é uma palavra que define bem o objetivo do parto humanizado, cuja assistência é focada na saúde e no bem-estar da mamãe e do bebê, respeitando a natureza e desejos da mulher durante o processo do parto, utilizando procedimentos com o mínimo de intervenções possível. Na humanização do parto, a gestante pode escolher acompanhantes, local onde ter o bebê, posições que julgar confortáveis, os procedimentos desejáveis, sendo a protagonista de todo o processo. É ela quem toma as mais importantes decisões para a chegada do seu bebê ao mundo.

Publicidade

Para que o parto humanizado aconteça, é essencial que a gestante e o bebê estejam saudáveis e longe de qualquer perigo. Dessa forma, será possível seguir as vontades da nova mamãe sem ter que mudar as suas decisões no meio do processo. No pré-natal, o médico irá avaliar a saúde da gestante e do bebê e mostrar a todas as opções que a futura mamãe tem para parir a criança. “Dentre as principais vantagens do parto humanizado podemos ressaltar o fato de a gestante ter participação ativa durante todo o processo, de forma que suas vontades sejam respeitadas e, além disso, a vinculação imediata de mãe e bebê”, enfatiza a ginecologista Dra. Geovanna Mendonça. A seguir, a especialista explica um pouco mais sobre o assunto:

Como a senhora define o parto humanizado?

O parto humanizado é aquele em que os desejos da mãe são respeitados, ela escolhe como quer que seu bebê chegue ao mundo. A saúde e o bem-estar da gestante e do bebê são prioridades da equipe médica e da instituição que assistem o parto.

Todo parto normal é humanizado?

Não. Nem todo parto vaginal é humanizado. Porque se não tratamos a mamãe com respeito, se por algum motivo alguém da equipe ou o próprio ambiente do parto for agressivo ou inapropriado para a mulher ou o bebê, o nascimento mesmo via baixa não é humanizado.

Uma cesárea pode ser humanizada?

Sim, pois de acordo com a Organização Mundial de Saúde apenas 15% dos partos teriam necessidade de serem operatórios e nesses casos podemos harmonizar o ambiente, aguardar o cordão umbilical parar de pulsar, mostrar o bebê para a mãe, respeitar esse momento como um nascimento e não como uma cirurgia.

Como a mulher se prepara para o parto humanizado?

A gestante se prepara por meio de um pré-natal bem assistido, tirando dúvidas e buscando sempre informações. Primeiramente, ela precisa desejar o parto humanizado, informar-se sobre todo o processo e escolher os profissionais que irão assisti-la neste momento tão especial da sua vida. Depois deve se preparar fisicamente, alimentando-se corretamente e praticiando exercícios físicos apropriados.

Quais os profissionais envolvidos no parto humanizado?

Os profissionais envolvidos no parto humanizado são o médico e/ou enfermeira obstetriz, doula e a equipe da instituição onde o parto está sendo realizado, em alguns casos, acupunturista e fisioterapeuta.

Como se dá o controle da dor durante o parto humanizado?

Temos algumas opções para diminuir a dor da gestante durante o parto. Esse controle da dor se dá por meio de massagens, banhos no chuveiro ou na banheira, e até mesmo acupuntura. Em relação a analgesia, só faço se a gestante solicitar e estiver no plano de parto.

Quais são as vantagens do parto humanizado?

São muitas as vantagens do parto humanizado, como a participação ativa da gestante durante todo o processo, a recuperação mais rápida pós-parto, o vínculo imediato da mãe com o bebê, e a redução dos riscos de alergia a medicamentos, uma vez que esses não são usados.

O parto humanizado oferece riscos para gestante ou bebê?

Não oferece riscos, pois o profissional que estará realizando o parto humanizado deve ser apto a tomar as medidas necessárias caso ocorra alguma complicação.

No parto humanizado, a gestante pode:

• decidir onde deseja ter o bebê;

• escolher profissionais para realizar o parto;

• escolher os acompanhantes que quer ao seu lado durante o trabalho de parto;

• adotar posições que julgar confortáveis;

• movimentar-se o quanto quiser;

• alimentar-se de líquidos e alimentos leves;

• decidir se deseja analgesia;

• escolher como o seu bebê chegará ao mundo;

• amamentar na primeira meia hora de vida do bebê.