O que você precisa saber sobre amamentação
Amamentar é algo especial, a forma mais perfeita e natural para nutrir um bebê, capaz de proporcionar um poderoso laço afetivo entre mãe e filho. Porém, no início, para várias mães e bebês o ato de amamentar é um desafio a ser superado, algo para ser descoberto e aprendido, para assim vir a fase prazerosa. Mães e pais, muitas vezes, sentem-se sozinhos e desamparados, recebendo apenas críticas. O desespero chega, e algo que poderia ser apenas uma fase de aprendizagem se torna um fardo difícil de suportar. A maioria das mulheres precisa de ajuda para iniciar a amamentação e isso não é vergonhoso. Para esclarecer algumas dúvidas importantes sobre o assunto, o Manual da Mamãe conversou com a consultora internacional em amamentação, a nutricionista Patrícia Schimin. Confira:

Publicidade

Quais são os benefícios do leite materno para o bebê e para a mamãe?

Os benefícios são inúmeros e bastante divulgados. Para os bebês, além dos aspectos nutricionais, físicos e psicológicos, a amamentação reduz o número de internações hospitalares, os problemas alérgicos e respiratórios, evita contaminações e a desidratação, reduz o risco de obesidade, diabetes, entre outras doenças crônicas existentes. Por outro lado, protege a mãe contra anemia, reduz a incidência de câncer de mama e ovário, favorece a perda de peso e contribui para manter os laços afetivos cada vez mais fortes entre a mãe e o bebê. A amamentação poupa gastos, não polui, preserva o meio ambiente e melhora a qualidade de vida de todos. Por tudo isso, preconiza-se que o aleitamento materno seja exclusivo até o 6º mês de vida do bebê e continuado por 2 anos ou mais.

Qual a dieta recomendada para a mamãe durante a amamentação?

A dieta recomendada para a mãe que amamenta é uma dieta saudável com alto consumo de frutas, verduras e água e baixo consumo de gorduras saturadas e açúcares. Com relação à qualidade da gordura ingerida é ideal que a mãe dê preferência aos alimentos ricos em gordura insaturada, como amêndoas, castanhas, azeite, abacate, pois a gordura é o único nutriente que se modifica no leite humano devido à dieta da mãe. Quanto mais gordura “boa” a mãe ingerir, um leite mais rico em gordura “boa” irá produzir.

Como evitar o machucado no seio?

Primeiro, a mãe deve observar como está a sua mama. Uma mama muito cheia dificulta o bebê abocanhar a região da aréola conforme deveria e ele acaba escorregando para o bico do seio, o que pode ocasionar lesão. Então, primeiro, apalpe o seio e a região da aréola e veja se estão macios, sem áreas duras. Caso encontre regiões endurecidas, faça massagem e retire o excesso de leite antes de oferecer a mama ao bebê. O segundo passo é encontrar uma posição confortável, em que a mãe não sinta dor.

Se já machucou o seio, como tratar?

O que permite a cicatrização do mamilo fissurado é o bebê pegar no seio de forma correta, assim a mamada não machuca e o seio cicatriza naturalmente. O próprio leite materno auxilia na cicatrização. Espremer um pouco de leite e deixar secar com os seios livres é um ótimo tratamento auxiliar.

Como saber se a pega está correta?

Uma boa pega proporciona à mãe prazer na amamentação e ela não sente dor. A dor no início da mamada pode ocorrer quando o bebê ainda está se posicionando, porém em poucos segundos, quando a pega for encaixada, esse desconforto deve passar. Podemos verificar a pega correta também pelo ritmo de mamada do bebê no qual a boquinha faz movimentos mais amplos e ritmados. Quando não ocorre a boa pega, a criança faz movimentos rápidos com pouca amplitude. Na pega correta, o bebê está com a boca bem aberta, lábios voltados para fora e o queixo toca o seio da mamãe.

Quanto tempo deve durar cada mamada?

Não existe tempo ideal para cada mamada, pois vai depender de como o bebê está sugando o seio. Tem bebê que retira toda a quantidade que necessita em poucos minutos, já tem outros que mamam, descansam, e voltam a mamar e assim demoram um pouco mais para retirar a quantidade necessária. O ideal é respeitar a individualidade de cada um. Cada bebê tem seu ritmo e é recomendada a livre demanda, ou seja, o acesso livre ao seio sempre que ele solicitar.

É recomendado trocar de seio durante a mesma mamada?

O leite materno tem diferente composição durante a mesma mamada e também durante o dia e a noite. Quando o seio está cheio, o leite que desce primeiro (leite anterior) é mais rico em proteínas, anticorpos, água e lactose (açúcar do leite). Já o leite do fim da mamada (leite posterior), quando o seio começa a ficar mais flácido, é rico em gorduras que provocam saciedade ao bebê, ou seja, faz ganhar peso e dormir mais. Então, o ideal é oferecer o seio até que ele se esvazie para depois passar para o outro, assim a criança receberá todos os nutrientes necessários para o seu excelente desenvolvimento.

Como saber se a criança mamou o suficiente?

Ao invés de ficar preocupada por não ter o controle total da situação e saber exatamente quanto o filho mamou, a mãe deve observar a fundo o bebê e conhecer seu jeito de ser. Às vezes, só prestando atenção aos detalhes conseguimos perceber o que realmente o bebê está nos “falando”. Nem sempre o choro é fome. Bebê que apresenta crescimento global esperado, ou seja, ganho de peso e/ou altura e/ou tamanho da cabecinha de acordo com as curvas do cartão da criança, já nos indica que o caminho está certo!