O que pode ou não pode na gravidez?
A gestação é um momento de extrema e dinâmica transformação no corpo da mulher. Tendo sido planejada ou acontecendo de surpresa, o fato é que, a partir do momento em que o exame vem positivo, a primeira pergunta que surge é: “e agora?”. Gravidez não é doença, mas envolve cuidados, carinho e respeito com o corpo, com a mente e, principalmente, com quem está chegando. E nesta hora a melhor referência é buscar o primeiro contato com o obstetra para iniciar o pré-natal.  Mês a mês esse profissional irá poder auxiliar e orientar os papais (de primeira, segunda e todas as viagens...) nas modificações, exames e cuidados que esse momento solicita.

Publicidade

Durante essa fase, todos sabem que a mulher deve buscar manter uma rotina saudável. Preservando suas atividades habituais de trabalho e lazer e relaxando sempre que possível. Mas o que mais ela pode fazer? O professor-doutor em ginecologia e obstetrícia Dr. Cláudio Basbaum e a ginecologista e obstetra Dra. Vanessa Sékula respondem o que grávida pode ou não pode fazer:

 

Posso realizar exercícios físicos?

A grávida deve se exercitar. Mas tudo deve ter o seu momento e equilíbrio. Recomenda-se fortemente evitar exercícios de maior impacto ao longo da gestação (jumper, equitação, esportes coletivos, como vôlei, basquete e futebol). Para quem não tinha o hábito, vale aguardar os três primeiros meses e, então, com a liberação do obstetra, iniciar alongamentos, hidroginástica e mesmo exercícios aeróbicos de menor intensidade. Para aquelas mamães que já se exercitavam, recomenda-se adequar as atividades ao momento da gestação, sempre  com a supervisão de profissional treinado.

Posso manter minha vida sexual ativa?

Não existe nenhuma contraindicação a relações sexuais se a gestação segue sem intercorrências. Muitas mulheres referem, inclusive, orgasmos mais intensos e mesmo maior prazer durante essa fase, fato explicado pelo aumento da vascularização da região pélvica. O aumento da libido também é relato comum, ainda que para algumas mulheres o efeito seja inverso, motivado pelas intensas variações hormonais. Portanto, se o casal e, principalmente a mulher, sente-se confortável e estimulado, a vida sexual pode ser mantida até o final da gestação.

Posso comer de tudo?

A alimentação deve ser saudável e balanceada, mas deve ser ponderada. Vegetais e legumes crus devem ser consumidos com muito cuidado e em locais onde se conheça o preparo. Não se recomenda a ingestão de carnes cruas, como o carpaccio e o sashimi. Parasitas podem permanecer na falta de boas condições de higiene e a infecção poderá prejudicar a gestação e comprometer a saúde do feto. A ingestão de chá preto e café deve ser restrita e as bebidas alcoólicas ingeridas apenas eventualmente. Por exemplo, uma taca de vinho em um brinde não faz mal.

Posso viajar de avião?

Durante o primeiro e segundo trimestres (até 28 semanas) a gestante encontra maior conforto e tranquilidade para enfrentar viagens áreas. A partir dessa fase e até 36 semanas, ela apenas poderá viajar portando uma declaração médica. Para as empresas aéreas nacionais, o voo é recomendado até, no máximo, a 32ª semana. E em caso de viagem internacional, é sempre importante verificar qual a norma tanto da companhia quanto do país para onde se irá, para evitar surpresas desagradáveis em cima da hora. Isso vale para gestante com evolução normal. Se houver qualquer condição diferente (sangramento, hipertensão, diabetes, etc.), sempre é necessário consultar seu médico, independente da idade gestacional. Para maior conforto, recomenda-se o uso de meias elásticas de compressão, exercícios durante o voo e manter uma boa hidratação.

Posso tomar remédios?

Grávida também tem dor de cabeça, contraturas musculares, infecções, sendo assim são muitas as situações que exigem o uso de medicamentos para aliviar os sintomas de desconforto. Mas nem tudo que é frequentemente usado fora da gestação pode ser mantido durante essa fase. Existem antibióticos e analgésicos adequados para as gestantes, enquanto outros podem repercutir gravemente no feto em desenvolvimento. Via de regra, os anti-inflamatórios devem ser evitados, pois podem alterar o desenvolvimento do coração do bebê e reduzir o líquido amniótico. Tratamentos estéticos também devem ser realizados apenas com a orientação do dermatologista, já que muitos ácidos e aplicações podem comprometer a saúde da criança intrauterinamente.

Posso pintar ou alisar o cabelo? E a depilação?

Via de regra, o uso de produtos químicos na gestação deve ser evitado. No caso das tinturas e alisamentos, o contato das substâncias com o couro cabeludo propicia a absorção dos produtos, podendo prejudicar o bebê. O ideal é evitar. Lembre-se que menos sempre é mais e busque alternativas. Uma dica é a realização de mechas que podem reduzir a aparência de manchado no cabelo e são feitas com menor contato com o couro cabeludo. Sempre procure a assistência de um bom profissional que use produtos de qualidade e respeite a gestação. E ainda assim qualquer tratamento só poderá ser realizado após a 14ª semana e com a autorização do obstetra e com menor frequência do que em não gestantes. Quanto à depilação, recomenda-se evitar o uso de laser, já que não existem estudos observando a repercussão dessa técnica em gestantes. A depilação com cera quente pode ser realizada em pernas e virilhas até o final da gestação. Lembrando, porém, que o aumento da vascularização de pele, observado nessa época, deixa a região bem mais sensível.