O abdômen no pós-parto
Muitas mulheres desconhecem a importância da recuperação de seus abdômens após o nascimento de seus bebês. Nessa fase, é fundamental que as mamães pratiquem atividades físicas específicas com foco na musculatura abdominal e assoalho pélvico, e que visem a recuperação da força muscular.

Publicidade

“Esses exercícios trazem inúmeros benefícios para o corpo e, principalmente, para o core (abdômen, glúteo e costas)”, explica a educadora física Patrícia Farago. A seguir, a profissional traz mais informações sobre o assunto:

O que acontece com o meu abdômen após uma gravidez?

Durante a gestação observamos nossa barriga crescer e muitas vezes não entendemos por que mesmo com tantos exercícios ou dietas ela não volta ao normal. O crescimento contínuo do útero provoca a separação muscular dos retos abdominais, processo chamado de diástase abdominal. Com isso, o tecido que os une - tecido conectivo - fica cada vez mais fino e a musculatura abdominal se enfraquece. Consequentemente, o suporte para costas e órgãos diminui, o que acaba gerando dores nas costas.

Depois do parto, as consequências da diástase podem ser, além da barriguinha indesejada e das dores nas costas, enfraquecimento contínuo da postura e do assoalho pélvico, umbigo projetado para fora e hérnia umbilical.

 

Como tratar?

Praticar exercícios que visem o fortalecimento muscular é uma solução não cirúrgica que exige disciplina e comprometimento, além do uso de uma faixa abdominal. Assim, são alcançados inúmeros benefícios para todo o corpo e, principalmente, para abdômen, glúteo e costas.

A principal técnica utilizada é a Tupler, desenvolvida pela americana Julie Tupler. Após anos de experiência como enfermeira, personal de trainer e doula, ela se tornou precurssora mundial no tratamento não invasivo para diástase abdominal.

Não existe restrição etária, nem é preciso esperar determinado tempo após o nascimento do bebê. Quanto antes se inicia o tratamento, melhor (respeitando, claro, a liberação médica). Também não importa se seu filho nasceu há muitos anos.

Em poucos encontros, consegue-se melhoras importantes. Na área estética, com a perda de volume abdominal, a cintura fica mais fina e o umbigo retorna ao seu devido lugar. A autoestima da mamãe melhora consideravelmente. Além disso, melhora a postura e ameniza ou, até mesmo, acaba com as dores nas costas.

Resultado: abdômen saudável e bonito após a gestação!