Gravidez: os três trimestres

Publicidade

Parabéns! Você acaba de descobrir que está grávida. Agora, cerca de 40 semanas a separam do dia em que verá pela primeira vez o rostinho do seu bebê e experimentará a sensação de ser mãe. Segundo o ginecologista e obstetra Dr. Júlio Pôrto, a gestação pode ser dividida em três fases: primeira, segunda e terceira, cada uma referente a um trimestre e com suas peculiaridades. Acompanhe as principais dúvidas de cada uma e viva a gravidez com saúde e felicidade:

Primeiro trimestre

Uma vez descoberta a gravidez, o que a futura mamãe pode esperar para os três primeiros meses de gestação? O que ela vai sentir?

O primeiro trimestre é o período da gestação compreendido entre o atraso menstrual e a 14ª semana de gestação. A maioria dos sintomas iniciais se deve à grande produção hormonal que ocorre nos primeiros meses e incluem náuseas (às vezes vômitos), salivação excessiva e queimação. Todo o aparelho digestivo funciona lentamente, o que explica o surgimento dos gases e da má-digestão. Como o útero cresce muito rápido (dobra com 8 semanas e triplica com 10), é comum o aparecimento de cólicas e uma compressão sobre a bexiga, o que faz a mulher ir ao banheiro com muito mais frequência, principalmente à noite. As roupas apertam rapidamente, pois há um acúmulo de gases e líquido na região abdominal. A vagina fica mais lubrificada, sem, contudo, significar infecção e pode surgir instabilidade emocional, como choro fácil, gargalhadas sem motivo, medo e incertezas.

Neste período, é maior o risco de perder o bebê? Por quê?Há um risco natural de abortamento de 10% a 20% para toda e qualquer gestação, independente do que a mulher faça ou deixe de fazer. Isso é fato, estatística, e se for o chamado abortamento espontâneo, não se preocupe, é a natureza realizando a chamada seleção natural. Quanto mais precoce o abortamento, maiores as chances de serem bebês com alterações genéticas, e a natureza, sábia como é, se encarrega de eliminar aqueles que talvez seriam grandes mal formados.

Sangrar durante o início da gravidez é normal?

O encontro do óvulo com o espermatozoide acontece nas trompas de Falópio e o embriãozinho formado caminha até se implantar no útero. Existe um sangramento normal, fisiológico, que ocorre nesse momento, é de pequeno volume e dura um dia. Geralmente, ocorre no período do atraso menstrual. Sangramentos mais intensos ou em períodos mais avançados não são normais. Comunique seu médico de imediato.

Quando iniciar o pré-natal? Que exames são pedidos neste período?

O pré-natal deve ser iniciado tão logo o diagnóstico de gravidez seja confirmado. Os exames laboratoriais devem ser feitos porque algumas infecções precisam ser prontamente tratadas a fim de não comprometerem o desenvolvimento embrionário. Os exames realizados incluem a primeira ultrassonografia, exames de hemograma, tipo sanguíneo, glicemia de jejum, urina, além do chamado teste da mamãe, idealizado para diagnosticar doenças infecciosas como o HIV, sífilis, chagas, toxoplasmose, rubéola, hepatite B e C, citomegalovírus e vírus HTLV.

Muitas mulheres afirmam que esta é a fase mais difícil da gravidez. Por que essa queixa?

Os três primeiros meses da gestação são difíceis, pois aparecem rapidamente muitos sintomas incomodativos, que persistem durante as 24 horas do dia, só aliviadas com medicações específicas. E essas medicações apenas aliviam, não cortam todos os sintomas. Isso se deve ao fato de surgirem em função da exagerada produção hormonal e de uma maneira abrupta, não dando tempo de o organismo se adaptar. Assim, em tese, todos esse sintomas são normais e refletem uma boa produção hormonal.

Segundo Trimestre

Este é o período de descobrir o sexo do bebê. Quando exatamente pode ser feito o exame?

O sexo do bebê pode ser descoberto de duas maneiras: por meio da ultrassonografia em torno de 13 a 14 semanas, ou mais recentemente, por meio de um exame de sangue chamado de sexagem fetal, que pode ser realizado ainda no primeiro trimestre, com oito semanas de gestação, com margem de erro próxima do zero.

O segundo trimestre de gestação também é o momento das mudanças corporais mais significativas. O que acontece com o corpo da mulher nesses três meses?

O segundo trimestre vai de 14 semanas até 28 semanas e é caracterizado pelo rápido crescimento do bebê. A barriga aparece e a mãe começa a perceber seus movimentos (por volta de 18 semanas). As roupas não servem mais, os sapatos apertam e o soutien antigo precisa ser trocado porque os seios aumentam. O centro de gravidade muda e a gestante, para se equilibrar, afasta os pés, dando origem à chamada marcha anserina ou “andar de pato”. A coluna repuxada para a frente traciona os músculos e ligamentos, dando origem à famosa dor lombar. As pernas tendem a inchar e podem surgir varizes, pois a circulação fica mais lenta. Podem surgir estrias nas mamas e abdômen, sendo necessária hidratação intensiva da pele.

Quais os principais exames que a mulher precisa fazer nesse segundo trimestre?

A ultrassonografia morfológica, exame de imagem mais importante de toda a gestação, é realizada entre 20 e 24 semanas. Além de ser o exame mais importante na busca de má-formações, mede o tamanho do colo uterino, importante marcador no rastreamento de parto prematuro. Teste de glicose no sangue após um xarope muito doce deve ser realizado em toda grávida para diagnosticar diabetes gestacional ou intolerância à glicose. Hemograma e exame de urina devem ser repetidos. Se você não tiver imunidade para toxoplasmose é de bom tom repeti-lo agora também.

Como o feto evolui durante este período?

No segundo trimestre, o bebê cresce muito rápido, chegando ao seu final com mais ou menos um quilo e em torno de 35 cm. Daqui para frente ele cresce mais uns 10 cm e ganha aproximadamente dois quilos. Está praticamente todo formado. Agora é crescer e ganhar peso.

Quando a gestante começa a sentir o bebê se mexer? Por que isso acontece?

O bebê se movimenta desde oito e nove semanas de gestação e isso é bem identificado pela ultrassonografia, mas a mãe percebe seus movimentos apenas por volta de 18 semanas. Isso se deve ao fato de o bebê ser pequeno, leve e, principalmente, por ter muito líquido amniótico ao seu redor, amortecendo os movimentos e tornando difícil sua percepção.

Terceiro Trimestre

Quais os principais desconfortos dessa fase da gestação? Como passar por eles?

O terceiro trimestre compreende o período entre 28 semanas e 40 semanas e é caracterizado pela briga por espaço entre o útero gravídico e os órgãos da mãe. Nessa fase o bebê ganha peso muito rápido. Ele terminou o segundo trimestre com um quilo e ganha mais dois quilos nessa reta final. Assim, a coluna é jogada totalmente para a frente, acentuando as dores lombares, sendo necessária a realização de atividade física para fortalecer a musculatura que sustenta a coluna; a bexiga fica totalmente pressionada contra o púbis, aumentando a frequência de ida ao banheiro; o intestino fica comprimido, causando gases, obstipação e hemorroidas, sendo necessária uma dieta rica em fibras para compensar tal fato; a circulação fica mais lenta, causando inchaço nas pernas, sendo necessária a realização de drenagem linfática e uso de meia-calça de média compressão; o estômago é elevado, podendo causar refluxo e, consequentemente, queimação, que pode ser tratada com antiácidos e alimentação balanceada; e surgem algumas contrações indolores, naturais, que nada mais são que exercícios da musculatura uterina se preparando para o parto.

Nos três últimos meses, a ansiedade aumenta. Isso pode acelerar o parto ou fazer mal para o bebê?

A ansiedade aumenta porque o parto se aproxima. A incerteza com relação ao tipo de parto, a inexperiência (para as mães de primeira viagem), a vontade de ver logo a carinha do bebê, de acariciá-lo e amamentá-lo aumentam esse grau de ansiedade. Nada disso faz mal para o bebê, mas pode tornar os dias mais longos para a mãe. Procure encarar as coisas com tranquilidade, confiar em seu médico e pensar positivo.

O inchaço é comum neste último período de gravidez. Por que ele acontece e quando deve ser preocupante para a mamãe?

O inchaço é praticamente certo no final da gestação e se deve à dificuldade de retorno do sangue das pernas para o coração, em função do tamanho do útero, comprimindo a veia cava inferior. O inchaço só deve preocupar se a pressão arterial estiver alta.

Nesse momento, mamãe e médico já devem ter escolhido o parto? Quais as orientações a gestante deve receber do seu obstetra nesse momento?

A gestante deve discutir o tipo de parto com o obstetra desde o início do pré-natal. Porém a maioria se preocupa com isso apenas na reta final. Grande parte das dúvidas já foi tirada. Seu médico deve te orientar sobre os riscos e benefícios de cada tipo de parto para que você escolha o que for melhor para você.

O que levar para a maternidade quando a bolsa estourar?

Escolha a maternidade para dar à luz e faça uma visita a ela antes de entrar em trabalho de parto. Todas as maternidades de Goiânia têm um folheto na recepção que indica o que deve ser levado para os cuidados com você e com o bebê na hora H.

A mamãe pode sentir contrações que não são indicativas do parto? Como saber se o bebê não vai nascer antes da hora?

Contrações fisiológicas, que nada mais são que exercícios da musculatura uterina, são comuns a partir do sétimo mês de gravidez. Geralmente indolores, podem aparecer várias vezes ao dia. Preocupe-se se vierem acompanhadas de sangramento ou perda de líquido pela vagina.