Exercite-se na gravidez
Momento de mudanças, a gravidez nos leva a refletir sobre cuidados que vão interferir diretamente na saúde do bebê que vai nascer. O bem-estar da gestante torna-se, então, prioridade. Se já praticava exercícios físicos, a indicação é continuar. Se nunca fez, não tenha medo de começar. Esse é o conselho da fisioterapeuta e personal gestante Camila Reis. Após serem autorizadas pelo obstetra, todas as gestantes podem praticar atividades físicas, desde que sejam orientadas por um profissional especializado, visando a segurança e bem-estar da mãe e do bebê.

Publicidade

“A atividade física e a gestação formam uma combinação perfeita, pois ajudam a manter a saúde física e mental durante os nove meses, trazendo muitos benefícios, como a redução da ansiedade e do estresse, o controle do ganho de peso e o fortalecimento da musculatura em geral”, descreve.

A personal, que presta atendimento individual e personalizado em domicílio, explica que busca atender às necessidades de cada gestante, por meio de um programa de exercícios seguro e eficaz, no qual ela fica assistida por completo, realizando atividades como alongamentos, fortalecimento, exercícios cardiorrespiratórios, relaxamento, hidrogestante e exercícios perineais, que respeitam os limites da futura mamãe, prevenindo desconfortos e doenças durante o período gestacional e no pós-parto. Ela orienta que as atividades sejam realizadas de três a cinco vezes por semana. Os exercícios de alongamento, exercícios respiratórios e para o assoalho pélvico podem ser realizados diariamente.

Por outro lado, alerta Camila, atividades aeróbicas de alta intensidade, como corrida, exercícios de alto impacto, os de contato físico, atividades com risco de desequilíbrio e queda, e também as que sobrecarregam e forçam as articulações, especialmente a coluna vertebral, não são recomendadas.

Pós-parto

Depois do parto, a mamãe pode voltar a praticar exercícios após a liberação do obstetra, que, normalmente, pode variar de 40 dias a dois meses. “Exercícios de alta intensidade podem elevar os níveis de ácido lático na corrente sanguínea da mãe, alterando o gosto do leite materno, e também podem interferir na sua produção causando uma diminuição. Por isso, é recomendado manter as atividades físicas moderadas como na gestação e aumentar gradativamente essa intensidade com o passar dos meses. A mãe necessita nessa fase de um cuidado maior com a alimentação, hidratação e repouso, para não ficar muito cansada e poder receber os benefícios advindos dessas atividades”, afirma a personal.