Exercite-se durante a gestação
Quando mulher engravida e surge a dúvida: “posso ou não fazer exercícios físicos?” E a resposta é sim. São inúmeros os benefícios de praticar atividade física durante a gestação. “Reduz o risco de diabetes, melhora a capacidade física, diminui o inchaço, melhora a circulação sanguínea, promove menor ganho de peso e adiposidade, e o melhor, além dessas vantagens biológicas, percebe-se também benefícios sociais e psicológicos como melhora da autoestima, diminuição da ansiedade e estresse e o aumento da sensação de bem-estar”, explica a personal trainer Lisa Landim.

Publicidade

A atividade física é superindicada para a gestante, desde que ela não tenha alguma patologia, sangramento, começo de aborto, placenta baixa, hipertensão ou outros problemas. Segundo Lisa, o ideal é que a gestante que deseja praticar uma atividade física tenha a liberação de seu obstetra. A partir daí, deve-se escolher uma modalidade e começar a praticar. “Atividades físicas mais indicadas são as de baixo e médio risco, como caminhada, hidroginástica, natação, musculação, pilates e yoga. Ainda não existe a prescrição padronizada, entretanto, deve-se evitar aquelas atividades desfavoráveis como ginástica de alto impacto, mergulho e hipismo”, informa.

De fato, não há exercício específico para praticar durante a gestação. Entretanto, tudo vai depender da forma física e cansaço da gestante. “Uma mulher sedentária que engravida e desperta a vontade de praticar uma atividade física, por exemplo, deve ser orientada à atividade leve e confortável, que resulte em prazer, pois o importante é manter a postura, a flexibilidade e o tônus muscular”.

É importante ter alguns cuidados com a gestante durante a prática de atividades físicas, como observar sua frequência cardíaca. “Muitos estudos mostram que a grávida não deve ultrapassar uma frequência de 140bpm (batimentos por minuto), que reflete aproximadamente 60% ou 70% da capacidade aeróbica máxima da maioria das mulheres grávidas”, esclarece Lisa.

Alimentar-se adequadamente e tomar bastante líquido para hidratar, tanto antes quanto depois dos exercícios, é muito importante. Também é fundamental respeitar os limites do corpo.

“Qualquer alteração ou desconforto que surgir, o mais indicado é que a gestante suspenda a prática e consulte seu obstetra”, aconselha.

Atividade física no pós-parto

Após o parto, o retorno à prática de exercícios físicos também vai depender da liberação do obstetra. Em casos de parto normal, muitas mulheres já podem voltar logo na primeira semana pós-parto. Já em caso de cesária, deve-se esperar 40 dias. “Ao voltarem às atividades, a mamãe consegue voltar a sua forma física mais rápido, tem mais disposição e fortalecimento da musculatura até mesmo para cuidar e carregar o bebê”, finaliza.
Publicidade