Endometriose causa infertilidade?
Segundo a Sociedade Brasileira de Endometriose (SBE), mais de seis milhões de mulheres na faixa etária entre 20 a 40 anos são afetadas pela endometriose, doença que tem como principais sintomas a dor e a infertilidade. A doença se caracteriza pelo desenvolvimento do tecido endometrial (localizado dentro do útero) fora da cavidade uterina, normalmente na região pélvica.

Publicidade

Com isso, ocorre uma inflamação crônica dos focos de endometriose, ciclicamente durante o período menstrual, provocando fortes cólicas. O ginecologista e cirurgião ginecológico Dr. William Kondo e a ginecologista Dra. Monica Tessmann Zomer Kondo explicam que, a partir de um diagnóstico precoce e de um tratamento adequado, a mulher com endometriose pode levar uma vida normal, sem dor, e tratar a infertilidade, para realizar o sonho de ser mãe. Em entrevista ao Manual da Mamãe, os especialistas detalham a doença. Confira:

Quais os sintomas da endometriose?

Dois sintomas são mais importantes e podem coexistir ou ocorrer isoladamente: dor e infertilidade. A dor pélvica depende do tipo de endometriose, mas de uma forma geral pode corresponder à cólica durante o período menstrual (dismenorreia), dor durante a relação sexual (dispareunia), dor pélvica crônica não relacionada à menstruação, dores intestinais ou urinárias, que são mais evidentes durante o período menstrual. A infertilidade se refere à dificuldade de um casal engravidar após um ano de tentativa.

Com sintomas tão desagradáveis, como tratar a endometriose para ter qualidade de vida?

Os sintomas dolorosos podem ser manejados clínica ou cirurgicamente. Boa parte das mulheres portadoras de endometriose responde bem ao tratamento clínico. No entanto, ele é útil para o controle dos sintomas e não para o controle da doença. Aquelas pessoas que persistem com sintomas mesmo assim ou que apresentam piora dos sintomas no decorrer da idade podem necessitar de cirurgia, que é realizada idealmente por laparoscopia. No caso da infertilidade, também pode ser indicada a cirurgia ou, em alguns casos, a reprodução assistida. O tratamento clínico não tem um papel na infertilidade. Enfim, o tratamento da endometriose deve ser individualizado, de forma a tratar o tipo específico de doença que a mulher possui e os sintomas específicos no seu caso, levando em consideração a sua idade, desejo reprodutivo e tratamentos prévios.

É possível ter a doença, mesmo sem apresentar os sintomas?

Algumas mulheres possuem endometriose e são assintomáticas ou muito pouco sintomáticas. É claro que elas, na maioria das vezes, não necessitam de nenhum tratamento. No entanto, é importante que se faça o diagnóstico de um tipo específico de endometriose, chamada de endometriose profunda, pois esta é a forma progressiva da doença, que pode acarretar alguns problemas sérios à saúde da mulher, mesmo nas mulheres assintomáticas. É pouco frequente, mas às vezes nos deparamos com mulheres portadoras de endometriose profunda, com comprometimento severo intestinal, acarretando estenose (estreitamento) intestinal ou acometimento urinário, levando à dilatação do ureter e perda da função renal. Essas situações sempre necessitam de tratamento cirúrgico.

É uma doença de difícil diagnóstico? Como ele é feito?

Existem formas diferentes de endometriose: endometriose superficial, endometriose profunda (formam nódulos de endometriose com mais de 5mm), adenomiose (endometriose uterina) e endometrioma (cisto de endometriose no ovário). A endometriose superficial só pode ser diagnosticada por meio de uma cirurgia, chamada de laparoscopia. Ela tem indicações em casos de mulheres muito sintomáticas em termos de dor ou naquelas com infertilidade. As outras formas de endometriose são diagnosticadas por meio de exames de imagem (ultrassom ou ressonância magnética), que devem ser realizados por radiologistas com experiência no diagnóstico da doença. Essa é a maior dificuldade quando se trata de diagnóstico da endometriose, pois existem poucos radiologistas que conhecem, de fato, a endometriose e que sabem identificá-la. O seu médico é o mais recomendado para indicar um profissional para fazer o seu exame se você tiver os sintomas de endometriose.

Há mulheres mais propensas a ter a doença do que outras? Quais as causas e fatores de risco?

A endometriose ocorre mais frequentemente naquelas mulheres com história familiar da doença. A exposição à menstruação também é um fator de risco para o desenvolvimento da anomalia nas mulheres com predisposição: primeira menstruação cedo, menopausa tardia, mulheres com grande fluxo menstrual, etc.

Quais as alternativas para engravidar, sendo a mulher portadora de endometriose?

Normalmente, as mulheres vão tentar engravidar espontaneamente. Em alguns casos, pode haver indicação de cirurgia, com o intuito de melhorar a fertilidade, e em outros pode haver necessidade de tratamentos específicos de reprodução assistida.