Dúvidas comuns sobre a saúde da grávida
Uma caixinha de surpresas e outra cheia de dúvidas. À medida que sua barriga cresce, lá estão elas te acompanhando e ganhando conteúdo. São dores que aparecem e você não sabe se é normal. Medo de algumas doenças que podem aparecer nesse período. Questionamentos sobre alguns alimentos ou sobre o uso de medicamentos. Enfim, não faltam perguntas relacionadas à saúde da mamãe e do bebê. Conte com seu médico e com o Manual da Mamãe para te deixar bem informada e despreocupada para curtir cada momento da sua gravidez. Algumas dessas dúvidas quem esclarece a seguir é o ginecologista, obstetra e mastologista Dr. Sérgio Masili:

Publicidade

A gestante pode ter cólicas no começo da gravidez?

A cólica é uma situação muito comum no início da gravidez. Normalmente, ocorrem devido às modificações na anatomia uterina e ao intenso estímulo hormonal nesse período. Se ocorrer associação da cólica com sangramento seu médico deve ser comunicado.

O que significa as ondas de calor que muitas grávidas sentem?

A grávida pode apresentar variação na sua pressão arterial. Normalmente, existe uma tendência a hipotensão, ou seja, queda de pressão, que pode se manifestar como ondas de calor e sudorese.

Quais as consequências do consumo de álcool e do fumo (ativo ou passivo) durante a gravidez?

Sabemos que existe uma correlação importante entre uso de álcool e mal-formações fetais. Por isso, deve-se evitar seu uso durante a gestação. O uso do cigarro causa alterações na circulação materno-fetal, levando ao desenvolvimento de fetos com peso abaixo do esperado.

Qual o perigo de dietas restritivas nesse período?

A gestação é um momento único em que o feto se desenvolve o tempo todo necessitando, portanto, de um aporte maior de todos os elementos que fazem parte da base alimentar. Nesse período, deve-se ter uma dieta balanceada e evitar o consumo excessivo de produtos calóricos.

É verdade que a gestante deve redobrar o cuidado com sua saúde bucal?

Durante a gravidez, a gestante apresenta diminuição na sua imunidade. Por essa razão é importante dar atenção especial à saúde dental. Devemos lembrar, no entanto, que a gestação não é o melhor momento para a realização de grandes tratamentos dentários para que não ocorra nenhuma dificuldade na alimentação da gestante. Existe também uma relação entre infecções gengivais e trabalho de parto prematuro.

Como lidar com o consumo de medicamentos na gravidez? A gestante pode consumir os que estava acostumada para tratar uma dor de cabeça ou um resfriado, por exemplo?

Os medicamentos ingeridos podem passar através da barreira placentária e chegar ao feto. Alguns deles podem ter efeitos prejudiciais. Por toda a gestação, bem como no período da amamentação, o obstetra deve ser consultado para avaliar a continuidade de tratamentos pré-existentes à gravidez.

O que é a pré-eclâmpsia? Toda mulher está sujeita a esta doença?

Pré-eclâmpsia é um doença grave que pode acometer as gestantes com quadro de aumento da pressão arterial, inchaço generalizado, perda de proteína pela urina e alterações na função renal. A gestante apresenta comprometimento vascular generalizado podendo colocar em risco o feto. As gestantes jovens ou idosas correm maior risco, porém qualquer uma pode estar sujeita à doença.

Há algo errado com o bebê, já que ele não mexeu durante todo o dia?

O feto pode diminuir bastante sua movimentação em situações comuns, como sono fetal, jejum materno prolongado ou falta de espaço dentro do útero no final da gestação. No entanto, toda situação na qual ocorra a parada total da movimentação fetal, a gestante deve se alimentar, ficar em repouso e observar cuidadosamente qualquer movimento. Em caso negativo, procure seu obstetra que solicitará exames para avaliação do bem-estar do bebê.

- Saúde da mulher - a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama -

O câncer da mama é o que mais acomete as mulheres em todo o mundo. Para aumentar as chances de cura é muito importante o diagnóstico precoce da doença. De acordo com o ginecologista, obstetra e mastologista Dr. Sérgio Masili, o ideal é que mulheres na idade de risco, ou seja, a partir dos 40 anos, realizem o exame mamográfico anualmente. “Dessa maneira, conseguimos identificar lesões extremamente pequenas de alguns milímetros”, completa.

Por outro lado, o exame físico detecta lesões de dimensões grandes e deve ser realizado principalmente em duas situações: 1. Nas jovens, como forma de educação ensinando-as a identificar o seu padrão de mama normal; 2. Nas pacientes de alto risco, que necessitam de uma vigilância frequente na mama. “Todas as demais pacientes devem fazer mensalmente seu auto-exame, porém, em hipótese nenhuma, deixarem de realizar exames de mamografia, pois é este que irá detectar o câncer na forma inicial”, orienta.

Sinais

Alguns sinais podem alertar as mulheres sobre um possível surgimento do câncer de mama, como presença de nódulo mamário que persiste inalterado, independente do ciclo menstrual; presença de lesões de pele, que persistem por mais de 15 dias; coceira e aparecimento de lesões na região areolar e saída de secreção pelo mamilo. “Procure seu médico de confiança ao menor sintoma.”