Desconfortos na gravidez
Dores na coluna, câimbras, retenção líquida... essas são algumas das alterações mais comuns que incomodam muito as gestantes. O fato é que, durante a gestação, o corpo da mulher sofre diversas alterações para abrigar e suprir as necessidades do bebê. Em alguns casos, isso pode causar desconforto, dores, lesões e incapacidades. Por isso, é de fundamental importância a gestante procurar locais e profissionais qualificados para diagnosticar e prescrever o seu melhor tratamento.

Publicidade

“A Creabily – Arte da Cura tem como principal objetivo proporcionar excelência nos atendimentos prestados aos clientes. O nosso diferencial é acompanhar integralmente e individualmente nossas gestantes nos tratamentos”, informa a fisioterapeuta da Creabily, especialista em Alterações da Coluna e Dor, Dra. Camila Carmona. A seguir, a Dra. Camila explica mais sobre as principais alterações e suas formas de tratamento. Confira:

Alterações Posturais

Devido ao crescimento do útero, aumento do peso e das mamas, o centro de gravidade se desloca para cima e para frente, aumentando a lordose lombar, a extensão dos joelhos e a base de suporte das pernas. Estima-se que 42% a 82% das gestantes, entre o 5º e 7º mês, podem ter alguma dor na coluna vertebral, principalmente na lombar e na sacroilíaca. Isso ocorre também devido à frouxidão ligamentar, pela liberação do hormônio relaxina e/ou estrogênio, que é importante para o relaxamento dos ligamentos e a facilitação da passagem do bebê na hora do parto.

Como tratar?

O Pilates Clínico e Estúdio é uma excelente opção para prevenir e tratar esses desconfortos. Após o terceiro trimestre, é importante para melhorar a postura e minimizar as compensações típicas desse período gestacional. O Pilates Clínico e Estúdio previne e/ou ameniza as dores na coluna vertebral; alonga e relaxa os músculos; fortalece a musculatura perineal, preparando para o parto e pós-parto; estimula a circulação; desenvolve a consciência corporal; melhora a respiração; aumenta a sensação de bem-estar, além de, otimizar a autoestima.

Distúrbios Músculo-Esqueléticos

Por conta do aumento do peso corporal, os músculos das gestantes são mais exigidos, tendo que ter mais resistência e força nas atividades do dia a dia, e isso ocasiona:

• Câimbras: essa sobrecarga nos músculos e a fadiga deles pode ocasionar com mais frequência câimbras na gestante.

• Síndrome do Túnel do Carpo: é a compressão do nervo mediano, pelo canal do carpo, que causa dor e alteração da sensibilidade nos punhos, dedos e, normalmente, ocorre pelo aumento de líquido nas extremidades (edema).

• Luxações e Entorses: devido ao hormônio relaxina, que promove frouxidão dos ligamentos, a gestante pode ficar mais susceptível a ter entorses.

• Síndrome de D´Quervain: é uma inflamação da bainha dos tendões dos músculos abdutor longo e extensor curto do polegar. Isso é mais comum de ocorrer após o parto, por meio das atividades de amamentar e dar banho no bebê.

Como tratar?

A Fisioterapia Analgésica e Antinflamatória é a solução para esses casos. Com indicação do obstetra, pode ser realizada com aparelhos para diminuir dor e melhorar o processo inflamatório. As técnicas manuais direcionadas para gestantes são as mais indicadas.

Edema Linfático

Alteração bastante comum durante a gestação, o edema é definido como um excessivo acúmulo de líquido nos tecidos. O edema linfático é desconfortável e pode até ocasionar mudanças de sensibilidade e sensação de peso.

Como tratar?

O fisioterapeuta deve orientar quanto à realização de exercícios metabólicos, duas vezes ao dia, elevação das pernas, uso de meias compressivas, a drenagem linfática manual e também a hidroterapia. A Drenagem Linfática Manual é uma ótima forma de tratar, pois promove a diminuição de edema, elimina toxinas, melhora a circulação e o sistema imunológico, o trânsito intestinal, além de auxiliar na diminuição das dores articulares.

Incontinência Urinária

Devido ao aumento da função renal, a sobrecarga da musculatura do assoalho pélvico e a compressão da bexiga pelo útero gravídico, muitas gestantes sofrem com o aumento da frequência urinária, chamada polaciúria. A incontinência urinária também pode estar presente em mulheres com fraqueza da musculatura do assoalho pélvico.

Como tratar?

Os exercícios de fortalecimento de assoalho pélvico são importantes para prevenir esses sintomas, e tanto a fisioterapia uroginecológica como o pilates são técnicas específicas para tratar esses distúrbios.

Alterações Respiratórias

A gestação provoca alterações importantes na fisiologia da respiração. Mudanças mecânicas, como o aumento do volume uterino, e metabólicas (alcalose respiratória) alteram a função respiratória. As gestantes ficam com a respiração mais superficial, e por isso há o aumento da frequência respiratória, o que causa cansaço e fadiga muscular.

Como tratar?

São indicados exercícios de alongamento e relaxamento da musculatura envolvida na respiração e o treinamento da musculatura respiratória, para melhorar o volume corrente da gestante.