Conheça os tipos de anestesia para o parto
Existem, basicamente, quatro tipos de anestesias que podem ser empregadas no parto: a raquianestesia, peridural, duplo-bloqueio e a geral, esquecida pela nossa população, mas que, dependendo do caso, pode ser utilizada.  E não há a melhor anestesia, mas, sim, a mais indicada para cada tipo de parto. A indicação depende do quadro clínico, da tolerância da dor da paciente e do trabalho de parto. Para dar maiores informações às gestantes sobre esse assunto, o Manual da Mamãe conversou com o médico anestesiologista, Dr. Luis Carlos Ishikawa. Confira:

Publicidade

 

Quais são os tipos de anestesias utilizadas no parto?

As anestesias empregadas nos partos podem ser de quatro tipos:

Raquianestesia: é bastante indicada em cesárea, na qual não necessita da ajuda da mulher para que o bebê nasça. Esse tipo de anestesia é aplicado nas costas, atualmente com agulha fina, que entra mais profundamente. Após o término, a gestante pode caminhar, pois não há necessidade repouso devido a cefaleia, como no passado.

Peridural: é também aplicada nas costas, mas fora do canal espinhal. Como não tem contato com a medula espinhal, é possível introduzir um cateter de peridural, caso seja um parto mais prolongado. É mais fraca e não tira a sensibilidade da mulher.

Duplo-bloqueio: nada mais é que a realização de raquianestesia e a peridural lombar com introdução de seu respectivo cateter. Geralmente, é feita em pessoas que têm muita sensibilidade à dor.

Geral: também é possível realizar anestesia geral na gestante. Esta é utilizada, na maioria dos casos, quando a gestante faz uso de medicação anticoagulante e, corre-se o risco de um sangramento no canal da medula. Por esta razão, não se faz a raquianestesia nem a peridural. Também é feita a geral em pacientes com patologia na coluna vertebral ou do canal medular.

Quais as diferenças entre as anestesias?

A raquianestesia e a peridural são confundidas pelo fato de ambas serem realizadas nas costas. Porém, realiza-se hoje muito mais a raquianestesia nas cesáreas, pelo fato da incidência de cefaleia ser mínima e o início da ação da anestesia ser mais rápida. Além disso, aplica-se menos anestésico que a peridural, com menos risco de intoxicação, e dá maior relaxamento abdominal, sendo que a gestante não sente a movimentação das mãos do obstetra em sua manipulação.

A peridural tem início de ação mais demorada, requer uma técnica anestésica mais apurada, apresenta menos hipotensão e tem incidência de falhas maior que a raquianestesia. Uma das suas características é que a gestante tem a sensação de tato na cavidade abdominal, sem apresentar dores, embora algumas não suportem esta sensação. Se o anestesiologista não identificar o espaço peridural e continuar a progressão da agulha, haverá a perfuração da dura-mater e grande incidência de cefaleia, mesmo com a peridural.

Quais as vantagens e desvantagens dos tipos de anestesia nos partos cesarianos e normais?

Nas cesáreas temos muito mais vantagens com a raquianestesia, que tem ação rápida e dá maior relaxamento abdominal. E no parto normal, pelas vantagens de cada técnica, o melhor é usar a combinação da raquianestesia e da peridural lombar contínua, que é a introdução do cateter de peridural. Com esse cateter é possível ir derramando o anestésico aos poucos, até o nascimento da criança. A mãe necessariamente participa do trabalho de parto e sentirá dores da contração, mas em intensidade totalmente suportável. Ela continua dominando seus movimentos da cintura para baixo, por isso pode ajudar o bebê a nascer.

A picada dói?

A picada da raquianestesia dói muito menos que a da peridural, por ser muito mais delicada. Por este motivo infiltramos o anestésico local antes da introdução da agulha de peridural.

Quanto tempo dura as anestesias durante o parto?

Tanto na raquianestesia quanto na peridural, o tempo de duração dependerá do volume e do tipo de anestésico utilizado, em geral, aproximadamente 2 horas. Já na peridural lombar contínua, que é com cateter, pode-se deixar a anestesia se prolongar devido ao acesso através do cateter por quantas horas se desejar.

Quais as sensações que cada anestesia promove na gestante?

Na raquianestesia, a gestante não sente nada no abdômen inferior, do umbigo para baixo. E na peridural, a paciente não sente dores, mas sente as mãos do obstetra, o que incomoda muitas parturientes. Em ambas, a gestante fica totalmente lúcida e, na anestesia geral, perde-se a consciência enquanto estiver anestesiada.

Quais são os riscos das anestesias?

Na anestesia não existe procedimento de pequeno ou grande risco para a mãe se a indicação for precisa. Desde uma sedação até uma anestesia geral, que muitos acreditam ser de maior risco, se realizadas em ambiente hospitalar, são bastante seguras, e perigosíssimas se realizadas em ambiente não programado.