Check-up digital preventivo para gestantes
Além do acompanhamento médico e da realização do pré-natal, as gestantes devem ser acompanhadas por um dentista para que possa manter a sua saúde bucal em dia, evitando o aparecimento de doenças que podem comprometer a sua saúde e também a do bebê. Para este período, o procedimento mais indicado é o Check-up Digital Preventivo, que consiste em utilizar um equipamento de última geração que substitui o “espelho” utilizado tradicionalmente pelos dentistas para conseguir visualizar as regiões mais difíceis da boca.

Publicidade

O uso deste aparelho é um grande aliado do cirurgião-dentista na prevenção, pois ele amplia em até 60 vezes o tamanho das imagens bucais e é capaz de antecipar a identificação das doenças porque diagnostica os problemas ainda nos estágios iniciais, o que é fundamental para a gestante. “A tecnologia contribui para que o profissional demonstre ao paciente a real importância de prevenir e tratar os problemas bucais, além de obter maior precisão na avaliação”, ressalta a especialista em imaginologia e radiologia odontológica e ortodontia da Conceito Oral Dra. Tarsyla Alencar Landim.

É importante citar ainda que todas as imagens visualizadas pelo profissional são mostradas ao paciente, permitindo total transparência. Após o diagnóstico, é realizado um laudo, apontando todos os problemas encontrados e o plano de tratamento, se necessário. Todas as imagens ficam armazenadas para o acompanhamento da evolução do tratamento.

Assim, os cuidados com a saúde bucal na gestação contribuem com a prevenção de infecções geradas por problemas periodontais que podem, em alguns casos, gerar baixo peso no bebê ou até mesmo parto prematuro, além de prevenir e controlar algumas doenças que podem acometer as gestantes, como o diabetes.

“Isso porque uma higiene bucal inadequada pode levar à presença de inflamação que ocasiona o sangramento e o crescimento gengival como foco primário de infecção na cavidade bucal, e daí o problema pode se disseminar pelo corpo através da circulação sanguínea e alterar os hormônios próprios da gestação, podendo causar contrações uterinas e risco de parto prematuro”, explica a Dra. Tarsyla.