Amamentação saudável
O aleitamento materno faz um bem enorme ao bebê e à mamãe também. Previne muitas doenças e fornece vários nutrientes à criança. Além disso, a amamentação cria um forte vínculo afetivo para a mãe e o bebê. Saiba mais sobre a amamentação com as informações da enfermeira e especialista em gerenciamento em unidades básicas de saúde, saúde perinatal e consultora em aleitamento materno e cuidados com o bebê Dra. Soyama Brasileiro:

Publicidade

Benefícios do aleitamento materno

Para o bebê, o aleitamento materno favorece a proteção contra infecções intestinais e respiratórias, diminuindo os riscos de alergias, colesterol alto, diabetes e obesidade; importante também para a dentição, desenvolvimento da fala e evita a respiração pela boca; ajuda a criança a se desenvolver física e emocionalmente; e aumenta o vínculo afetivo. Para a mamãe, diminui o sangramento após o parto, reduzindo os riscos de desenvolver anemia. Também previne câncer de mama e de ovário, diabetes e infarto. E ela ainda perde mais rapidamente o peso que ganhou durante a gravidez. Para a família, menos problemas em relação à saúde da criança.

Amamentar corretamente

O bebê deve mamar logo que nasce. A mãe deve aprender e corrigir a posição, pega e sucção do bebê antes da alta hospitalar e, se possível, praticar como extrair o leite com a mão, caso haja necessidade de fazê-lo em casa. Para uma pega adequada, é necessário observar mais aréola visível acima da boca do bebê. A boca deve estar bem aberta, lábio inferior virado para fora e queixo tocando a mama. É importante salientar que existem sinais de uma pega incorreta como: bochechas do bebê encovadas a cada sucção, ruído da língua, mama esticada, mamilos avermelhados ou com áreas esbranquiçadas ou achatados após a mamada e dor na amamentação.

Durante a amamentação, a mãe deve estar confortável, segurando o bebê com o rosto de frente para a mama, nariz na altura do mamilo, corpo do bebê próximo ao da mãe, cabeça e tronco alinhados (sem torcer o pescoço), e bebê bem apoiado. O ideal é que a mãe permita que o bebê mame o tempo que desejar numa única mama, esvaziando e soltando-a espontaneamente. Caso deseje mamar novamente, a segunda mama poderá ser oferecida, recomeçando a próxima mamada por ela. É recomendado que a criança seja amamentada sem restrições de horário e de tempo de permanência na mama (livre demanda). Posteriormente, a mamãe vai percebendo que o bebê vai fazendo o seu próprio horário.

Retorno ao trabalho

Antes desse retorno, é preciso manter o aleitamento exclusivo, aprender como retirar e armazenar o leite no local de trabalho, e praticar a extração do leite a ser usado futuramente. Deve-se iniciar o estoque de leite 15 dias antes do retorno ao trabalho. Após voltar a trabalhar, a mamãe deve amamentar com frequência quando estiver em casa, inclusive à noite; oferecer a alimentação por meio de copo e colher, evitando o uso de mamadeira; esvaziar as mamas no trabalho, armazenando o leite em geladeira ou congelador; realizar extração do leite, de preferência manual, dispondo de um vidro com tampa de plástico, lavado e fervido por até 15 minutos; procurar um local tranquilo para retirar o leite.

Fonte: Dra. Soyama Brasileiro - Enfermeira e especialista em gerenciamento em unidades básicas de saúde, saúde perinatal e consultora em aleitamento materno e cuidados com o bebê