Você está preparada para seu filho entrar na escola?
Primeiro dia de aula, o pai e a mãe entregam o filho pela primeira vez no portão da escola. Insegurança, medo, o famoso aperto no coração... são sentimentos comuns nesse momento, tanto da criança quanto dos pais. Não pense que só a criança tem de se adaptar ao início da vida escolar. Os pais também precisam de um tempo para assimilar essa nova etapa. “O primeiro passo é estar seguro quanto à escolha da escola para transmitir essa segurança aos filhos”, explica a psicopedagoga Luciana Barros de Almeida. A seguir, a entrevista completa com a psicopedagoga:

Publicidade

Como os pais devem se preparar para o ingresso dos filhos na escola?

A resposta à essa pergunta se assemelha àquela mensagem de segurança de voo anunciada pela comissária de bordo ao dizer que em caso de emergência primeiro coloque a máscara em você e só depois auxilie a criança que estiver ao seu lado. Digo isso porque a decisão de quando a criança iniciará sua escolarização, geralmente é dos pais, então, eles é que precisam se convencer, só assim conseguirão transmitir segurança ao filho. A adaptação escolar começa em casa, ao chegar à escola será apenas a efetivação da escolha feita. O ponto inicial é começar a conversar entre si, pai e mãe, e gradualmente incluírem a criança nesse diálogo. Quando a escolha é assumida pelos elementos centrais da trama (pais-filhos) a adaptação na maioria das vezes transcorre tranquilamente.

Para os pais passarem segurança para a criança, eles precisam se sentir seguros. Como estar seguro em relação à escola?

Os pais precisam acertar na escolha da escola. A escolha deve ser por afinidades diversas, desde a localização, a proposta de ensino, a qualificação profissional e afetiva dos professores e equipe diretiva, o atendimento aos interesses da criança de acordo com sua faixa etária, a estrutura oferecida pela escola e uma dica usual e pontual é se eles conhecem alguma criança que estuda ou já estudou na instituição e recomenda-a, se esses principais pontos estiverem resolvidos as chances de segurança dos pais e consequentemente da criança serão mais assertivas.

Despedidas dramáticas e longas dificultam a entrada das crianças na escola? Como evitar?

Dificultam sim, principalmente porque percebemos que, na maioria dos casos, a dificuldade de separação acaba sendo muito maior dos pais propriamente dito do que das crianças. A fim de evitar tumultos, os pais devem agir naturalmente já explicando previamente que a criança ficará na companhia de coleguinhas e professoras e que ao final das atividades escolares eles retornarão para buscá-la. E, ao deixá-la na sala de aula, evitem ficar rodeando-a, pois a criança em fase inicial tende a uma instabilidade emocional natural e se os pais ficam por perto acabam transmitindo a mensagem de que pode haver perigo em ficar sem a presença deles.

Como os pais devem lidar com os filhos que choram na hora de se despedir para entrar na escola?

O choro nos primeiros dias pode acontecer, mas não é condição, geralmente indica instabilidade emocional e pode acontecer por falta de diálogo antecipado com a criança sobre a nova experiência. Caso ocorra, os pais devem explicar em boas palavras à criança que a escola é um espaço onde ela irá aprender e crescer, conhecer pessoas novas e que poderá contar com as professoras que estão ali para atendê-las em suas necessidades.

Atraso na hora de buscar a criança na escola pode deixá-la insegura e dificultar esse ingresso escolar?

Para transmitir segurança à criança facilitando a evolução da adaptação escolar os pais devem cumprir rigorosamente o horário de encerramento da aula. No início, isso é bastante importante.

Quais são os erros mais comuns dos pais que atrapalham esse início na vida escolar do filho?

Dentre os diversos fatores que favorecem uma boa interação entre criança-escola, os erros que mais prejudicam essa relação são os pais não conversarem com os filhos sobre como será essa nova experiência, não levar a criança antecipadamente na escola para que experimente o local onde ela ficará sem a presença deles, não compartilharem com ela a aquisição do material escolar para que ela vá assimilando o novo contexto e, principalmente, nos primeiros dias de aula permanecer no entorno da escola, após a entrada da criança para a sala de aula.

Cada criança tem um ritmo próprio de adaptação. Uns podem demorar mais a se adaptarem do que os outros. Como ajudar nesse processo?

Os pais precisam conversar com a criança sobre o assunto antes e depois da aula para que ela vá compreendendo que ficar sem o pai e a mãe enquanto está na escola pode ser ruim somente quando tem que se separar (início da aula), mas depois vai poder fazer coisas legais e divertidas com seus coleguinhas e professoras e que ao terminar a aula os pais estarão lá para buscá-la e de novo retornarem à sua casa.

É importante a troca de experiências e informações com os pais dos coleguinhas do filho?

Não há importância educativa com finalidade escolar, porém ela tem acontecido com frequência e intensidade maiores que em épocas anteriores, e pode ser interpretada mais como caráter social e fraterno. Aliás, muitas famílias tem buscado essa amizade como espaço de convivência social, mas esta é uma necessidade maior dos pais, não é um critério escolar, já que a interação entre as crianças já é promovida no cotidiano escolar dentro da própria escola.