Tira-dúvidas sobre o comportamento infantil
Muitas vezes acontecem situações que deixam os pais sem saber como proceder ou como resolver da melhor maneira possível. Mentiras, birras, ciúmes, timidez, má criação... Em algum momento da infância seu filho irá passar por alguma dessas situações ou até mesmo por todas. É certo que nem sempre é fácil decifrar o comportamento infantil. A busca por respostas costuma esbarrar na maneira como os pais criam os filhos, na quantidade de “nãos” que conseguem dizer a eles, nos limites que são capazes de impor. Para que o filho tenha um bom comportamento o caminho melhor sempre será o da boa educação. Para ajudar os pais a encontrarem respostas sobre o comportamento do filho, o Manual da Mamãe conversou com especialistas e listou as principais dúvidas e soluções:

Publicidade

Meu filho, quando não consegue algo que quer, dá birra e esperneia seja onde estiver. Como devo lidar com isso?

A criança é mais propensa a dar birra a partir dos dois anos de idade. É normal que esse comportamento se estenda até os cinco anos ou um pouco mais. Conforme ela vai crescendo, o desejo de querer tudo vai sendo superado e as birras vão diminuindo gradualmente. Com regras firmes a criança aprende que tudo tem limites. Embora seja difícil, os pais precisam ensinar aos filhos a conviver com sentimentos de frustração e a desenvolver a capacidade de autocontrole. Não devem ter o receio de dizer “Não” e explicar a razão de o fazerem. É importante não interagir com a criança antes que ela se acalme. Evite ficar tenso. Após a criança se controlar, reforce, elogie por ter conseguido se acalmar e procure lhe falar de condutas mais eficazes que a birra.

O que eu devo fazer para controlar meu filho que é muito agitado?

As crianças agitadas precisam de atividades para gastar toda sua energia. Não adianta brigar com seu filho, mandá-lo parar de fazer uma coisa, porque dois minutos depois ele está lá de novo. É preciso organizar o tempo de seu filho com atividades para serem desenvolvidas durante o dia. As crianças precisam (muito mais que nós) de atividades físicas, jogos, correrias, ar livre. Dormir cedo e acordar cedo lhes são mais indispensáveis que às demais crianças. É necessário tranquilizar os agitados, criar regras, estabelecer uma rotina.

Timidez. Meu filho sente muita vergonha, é uma criança muito tímida. O que posso fazer para ajudá-lo?

A primeira coisa a se fazer é prestar atenção a esse comportamento. É importante os pais saberem se o filho é introspectivo, mais quieto e com poucos amigos porque isso faz parte da personalidade dele ou se essa timidez pode ser fonte de angústia. Quando o caso é apenas timidez, os pais precisam incentivar a criança a brincar com outras, chamar os coleguinhas para passear na sua casa, estimulá-la a dar sua opinião em meio a uma conversa, deixar que ela faça seu pedido em um restaurante. Essas pequenas atitudes podem ajudá-la a se comunicar melhor. Mas quando a criança não consegue se relacionar, participar de brincadeiras coletivas ou não gosta de estar com outras pessoas, é preciso buscar ajuda de um profissional.

Até quando a fase da mentira é normal e quando devo me preocupar?

A maioria das crianças passa pela fase da mentira. Esse comportamento de mentir geralmente começa a aparecer após os três anos de idade. A mentira precisa ser diferenciada da fantasia. Até por volta dos sete anos a criança ainda brinca com sua imaginação e cria situações que não são reais. Depois dessa idade, aproximadamente, a mentira se torna intencional, pois a criança já tem uma noção maior de valores sociais e já sabe diferenciar mentira de verdade. Se o comportamento de mentir é muito frequente ou se estende muito além dessa fase, deve-se procurar a ajuda de um profissional.

É comum existir ciúme entre irmãos?

Ciúme é um comportamento considerado normal no desenvolvimento da criança. Quando essa crise, no processo evolutivo, é superada, a criança volta a se sentir tranquila e avança em seu processo pessoal de maturidade. O ciúme surge entre irmãos, muitas vezes, para conseguir o carinho e a atenção dos pais. Por isso, é importante conversar com a criança sobre a chegada do irmãozinho. O ciúme é um instrumento necessário para a criança aprender a ter em conta o outro, o partilhar. É nessa relação com os irmãos que a criança começa a aprender padrões de lealdade, prestatividade, proteção, competição e vão se generalizar a todas as relações que a criança estabelecerá ao longo de sua vida.

Algumas vezes, tenho que fazer chantagem para convencer meu filho a tomar banho ou trocar de roupa. Isso é errado?

Ações como tomar banho, escovar os dentes, e sentar-se à mesa são obrigatórios e a criança precisa entender que faz parte da rotina. Geralmente, por volta dos dois anos de idade, por exemplo, a criança começa a reivindicar a posse sobre o próprio corpo, até então, somente cuidado pelos responsáveis. Uma sugestão para quando ela não quer tomar banho é fazer o jogo de autonomia, dando ferramentas e negociando. Por exemplo: você compra um sabonete especial, um xampu bacana e deixa que ela se lave sozinha, com sua supervisão. Isso vai gerar na criança o prazer em realizar essa tarefa. Em troca, duas vezes por semana, você dá um superbanho nela. Na hora de se vestir é importante deixar a criança escolher a roupa, de acordo com a ocasião.