Teste do olhinho para crianças
O Teste do Olhinho normalmente é realizado nos primeiros meses de vida do bebê, a fim de prevenir sequelas de doenças potencialmente graves para a visão. Se seu filho não foi submetido ao exame logo após o nascimento, o oftalmologista Dr. Humberto Borges explica que até completar o desenvolvimento visual, por volta dos 7 anos, a criança pode e deve fazer o teste. “Não há um limite de idade. A recomendação é que, se o quadro estiver normal, o pequeno volte ao oftalmologista em cerca de seis meses e, novamente estando tudo certo, faça visitas periódicas a cada um ou dois anos.”

Publicidade
O exame na criança é idêntico ao feito no bebê, ressalta o Dr. Humberto. O Teste do Olhinho é indolor e rápido, demora menos de cinco minutos para ser realizado. Todo o olho é examinado com a ajuda de um aparelho que projeta uma luz no olho da criança ou bebê. Se estiver tudo bem, um reflexo vermelho ou amarelo-avermelhado pode ser visto, proveniente da retina. A ausência do reflexo vermelho ou a presença de reflexos diferentes em um ou nos dois olhos podem significar a existência de alguma alteração. “Nesses casos, a criança deve ser encaminhada imediatamente ao oftalmologista para tratamento adequado”, orienta.

Se seu filho nunca visitou o oftalmologista, não perca tempo. A prevenção realmente faz a diferença. De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica (SBOP), cerca de 400 mil crianças são deficientes visuais no mundo. Das causas de deficiência visual infantil mundial, 80% poderiam ser evitadas se medidas simples, como o Teste do Olhinho, fossem intensamente divulgadas e realizadas rotineiramente.

Entre outras doenças, podem ser detectadas por meio do Teste do Olhinho:

Catarata congênita: quanto mais precoce for o diagnóstico e o subsequente procedimento cirúrgico, menor será o dano à acuidade visual provocado pela doença;

Glaucoma congênito: o glaucoma congênito é resultado do aumento da pressão intraocular, que provoca dano irreversível ao nervo óptico e também pode levar ao edema de córnea, que impede a entrada normal de luz para dentro do olho;

Retinoblastoma: é o tumor mais frequente na infância. Se não for tratado com urgência, pode causar graves consequências.

 

 

"O Teste do Olhinho é fundamental e pode determinar toda a evolução visual da criança.”