20 dicas para acertar na educação dos filhos
“A relação entre pais e filhos é como um novelo de lã. Assim que o bebê nasce, o novelo está todo enrolado e um depende do outro. Mas, a cada ano, uma volta se desfaz. No auge da fase adulta, as vidas estarão ligadas apenas por um fio, e dessa forma será para sempre.” A metáfora sobre a relação entre pais e filhos é da psicanalista Diana Corso, autora de Fadas no Divã (Ed. Artmed), e retrata bem os estágios pelos quais passam a criação dos filhos.

Publicidade

A maior preocupação é torná-los cidadãos de bem e, principalmente, felizes. Como se pode imaginar, a receita para isso é bem complexa e depende muito dos valores de cada família. Mas há dicas preciosas para tentar não errar na educação dos filhos. O Manual da Mamãe trouxe as melhores dicas para você.

Confira:

1. Aposte em gentilezas: no começo, você vai precisar “forçar” o seu filho a ser agradável, usar as palavras de gentileza (por favor, obrigado e com licença), depois, será natural.

2. Conserve relacionamentos: incentive-o a fazer muitos amigos e ajude-o a cultivá-los.

3. O não dos pais: nem sempre existe uma explicação que satisfaça crianças ou adolescentes. A frustração faz parte da vida e é preciso preparar os filhos para as frustrações vindouras.

4. Não se deixe levar pelas chantagens emocionais: coisas do tipo “eu sou adotado”, “vocês não me amam”, “ninguém me entende”, “eu vou fugir de casa” e outros dramas, muitas vezes levam os pais a cederem quando não deveriam e ensina a criança uma maneira de negociação desleal.

5. A diferença entre o relacionamento do casal e o relacionamento pais/filhos: as questões concernentes ao relacionamento dos pais não dizem respeito aos filhos.

6. Trace objetivos: pergunte duas ou três coisas que seu filho gostaria de ter e o ajude a definir metas para chegar ao objetivo.

7. Pratique o perdão: ensine-o a perdoar pedindo perdão, afinal os pais também erram e a legitimação dos sentimentos está intimamente ligada ao exemplo prático por parte dos pais. Mas é preciso deixar claro que pedir perdão ou desculpas é um ato de educação, mas que não substitui as consequências de algo feito de modo errado ou na hora errada.

8. Mostre a importância da manutenção de um corpo saudável: mesmo se a criança não gostar da educação física, precisa entender que o esporte faz bem para a saúde.

9. Valorize a coisa certa: quando seu filho apresenta um bom resultado, seja na escola, em casa ou com a família, valorize o esforço que ele teve para conseguir aquilo, e não o resultado como algo isolado. Elogie tudo que ele teve de ter para conseguir atingir o objetivo.

10. Dê responsabilidade à criança: quanto mais você mostrar para o seu filho que ele está fazendo uma contribuição única pra família, mais ele vai se encher da sensação de que ele próprio vale a pena, além de criar noções de responsabilidade e autonomia.

11. Ouvir, ouvir e pontuar: ouça seu filho sem julgá-lo. Assim, ele vai sentir que os pais se interessam por ele, e isso é fundamental para que se sinta feliz, no entanto, não feche os olhos para os fatos, se for necessário, faça pontuações, ensinando-lhe a melhor maneira de agir.

12. Ser honesto é o mais importante: É na tentativa de manipular as crianças que surgem os problemas: quando, por exemplo, os pais brigam entre si, mas agem como se estivesse tudo bem na frente dos filhos.

13. Evite comparações: mesmo sem perceber, é muito comum, especialmente no âmbito familiar, comparar a criança com irmãos, primos ou colegas. Isso é cruel e desleal, à medida que não respeita a individualidade.

14. Repreenda com amor e seriedade: disciplina deve ser tratada de maneira séria, o tom de voz e a fisionomia devem estar em consonância com o ato, mas tudo deve ser feito com amor, não precisa ser aos “berros” e com palavras pesadas.

15. Evite rir do “malfeito”, tudo tem sua hora: muitas vezes as peripécias das crianças acabam por se tornar hilárias, mas por mais engraçado que pareça, não ria na frente dela, pois o riso reforça uma atitude que muitas vezes os pais não desejam que se repita.

16. Nunca jogue responsabilidade para o cônjuge ou tire a autoridade do outro: a unidade entre os pais é importante para moldar a personalidade e os valores da criança.

17.Tente não criar rótulos em seu filho, mas não feche os olhos para a verdade: não precisa fingir que o filho é perfeito, mas tente não expor as dificuldades da criança para colegas, familiares ou professores, especialmente na frente dela!

18. Crie uma rotina: rotinas fortalecem os laços familiares e a criança fica mais produtiva, pois aprende a organizar suas necessidades em função do tempo. E também beneficiam sua saúde como, por exemplo, mantendo o hábito de escovar os dentes, lavar as mãos, praticar exercícios, alimentar-se, estudar e dormir em horários adequados.

19. Deixe seu filho errar sozinho: se tentamos resolver os problemas por nosso filho, ele não vai aprender a lutar suas próprias batalhas, aceitar seus erros e ensinar a dar a volta por cima.

20. Permita-se errar, peça ajuda!