Saiba como escolher a melhor escola
“Em que escola colocar o meu filho? Devo optar por uma mais tradicional ou procurar uma perto de casa? Na hora de escolher a melhor escola para seu filho, seja criança ou adolescente, as dúvidas são frequentes. Para ajudar você nesta difícil jornada, o Manual da Mamãe foi buscar os conselhos da Dra. Candy Gifford, que, além de mãe e avó, é psicóloga especialista em psicopedagogia. Ela trabalha há mais de 20 anos com crianças e pode ajudar os pais a entenderem o que priorizar nesta hora:

Publicidade

Com que idade as crianças devem ir para a escola?

A criança já deve estar falando o que quer, deve ter controle do xixi e cocô para que ela possa dizer “eu quero ir embora”, “eu quero ir ao banheiro”, “estou com fome”, “estou com sede”. Ela deve ter uma linguagem desenvolvida, porque, assim, estará mais confiante.

 

O que os pais devem observar na hora de escolher a escola do filho?

Primeiro, quero ressaltar que quem escolhe escola para os filhos são os pais. São eles quem têm recursos para avaliar e compreender a dinâmica de uma escola. Mas, de toda forma, é importante escutarem a criança depois que já optaram por duas ou três escolas que consideraram as melhores. A escolha envolve observar o projeto da escola, a proposta pedagógica, o corpo docente, etc. Nós escolhemos escola como escolhemos um médico, buscando informações, indo ao lugar para conhecer e sentir o coração da escola.

 

O que os pais devem priorizar neste momento?

Cada família tem uma postura, uma maneira de ser. Então, os pais devem escolher a escola de acordo com sua própria crença sobre que filho eles querem formar. Algumas famílias são mais autoritárias, outras são religiosas. Então, dizer qual é o melhor processo fica simplista. Você vai ter de adequar sua necessidade e a do seu filho à escola. É importante ressaltar que quando uma criança é pequena, os pais devem escolher uma escola menor, porque ela sai do ambiente familiar, único e singular, e vai viver um projeto social maior. Com um número menor de colegas em sala, a professora titular poderá acolhê-la melhor. Só mais tarde, os pais devem ir ampliando este ambiente escolar, o que é um processo gradativo.

 

Por que a escolha da escola é tão complicada?

A escola é a segunda família da criança, onde ela vai passar um tempo grande do dia e vai começar a construir relações sociais mais amplas. Então, os pais precisam ser criteriosos. Não se pode escolher uma escola apenas porque é perto de casa ou porque gostou da propaganda. É importante pegar informações e visitar a escola.

 

Como os pais devem agir durante as visitas às possíveis escolas do filho?

Na primeira visita, os pais devem falar com a diretora e com a coordenadora para entender como é o funcionamento e os projetos da escola. Perceber se eles têm uma proposta mais construtiva ou mais tradicional, sempre pensando em que tipo de criança os pais querem formar. Tudo vai depender da compreensão da família sobre o que é escola. Feito esse percurso, a criança será levada a conhecer duas ou três opções levantadas pelos pais e, então, escolher a que mais gostou entre elas.

Enumere alguns métodos pedagógicos, com suas vantagens e desvantagens.

A proposta pedagógica mais atualizada no Brasil é o processo construtivo, que respeita o ritmo de aprendizagem de cada criança. Eu não enumeraria projetos, mas digo que a escola que está preocupada em formar cidadãos críticos, e não cidadãos imitadores, repetitivos ou conteudistas, e respeita o processo emocional e psicossocial da criança, sua singularidade e seu ritmo de aprendizagem esta pode ser a escolhida.

Como os pais devem agir durante o processo de adaptação da criança na escola?

Os pais devem agir de forma artesanal, porque é o primeiro afastamento da criança do seu núcleo familiar. Então, quem deve levar e buscar a criança na escola sempre no horário correto é a mãe ou o pai, não a babá, a vizinha ou o motorista. Fazendo isso, esperem a criança entrar na escola, encontrar com a professora, aguarde um tempo. Se houver um choro, dê um abraço apertado e vá conversando com a criança, para que ela atravesse esse rito de passagem de uma forma cuidadosa.

 

Este é um processo complicado? Por quê?

Para algumas crianças, sim. Não há generalização. Existem crianças que aparentemente se adaptam muito bem na primeira semana na escola. Na semana seguinte podem começar a chorar, porque entraram na realidade de uma sala de aula e nem sempre serão atendidas na hora.

 

O que os pais devem fazer se o filho não gostou da escola?

Se a criança insiste no choro, fica irritadiça, verbaliza a insatisfação e tem até sintomas físicos, como dor no estômago, dor de garganta, entre outros, é hora de trocar de escola, porque é um sinal de que a criança não se adaptou ou não gostou da professora ou não fez amiguinhos. Mas os pais não devem se desesperar, isso é normal e pode acontecer.