Quando levar a filha pela primeira vez no ginecologista?
Quando deve ocorrer a primeira consulta ginecológica? Esta é uma dúvida frequente das mamães e adolescentes que não sabem a hora cera de procurar um ginecologista. É polêmico afirmar com exatidão quando a menina precisa se consultar pela primeira vez. Seria na primeira menstruação? Quando começa a atividade sexual? Quando surgem as espinhas ou algum problema hormonal? Segundo a ginecologista, Dra. Alessandra Arantes, não há uma regra absoluta para definir a hora certa dessa primeira consulta. As mudanças corporais como o crescimento de mamas e pelos, o surgimento de odores, alguma queixa ginecológica, as alterações de humor e comportamento indicam que seria uma boa hora para incluir o ginecologista na lista de profissionais médicos que se pode contar para orientações sobre a saúde da adolescente. Confira a seguir mais informações sobre este assunto com a Dra. Alessandra:

Publicidade

Quando a mãe deve levar a filha ao ginecologista pela primeira vez?

A primeira consulta deve ser feita mediante a primeira queixa ginecológica. Por exemplo, uma recém-nascida com sangramento genital, uma menina em idade escolar com uma irritação vaginal ou uma adolescente que deseja iniciar sua vida sexual devem ser levadas ao ginecologista, ou seja, não depende da idade. Não havendo queixa ginecológica, um bom momento para esta primeira consulta é quando a menina começa a apresentar desenvolvimento de características sexuais secundárias (pelos, mamas, alterações de pele, mudanças de comportamento). A mãe precisa orientar a filha que essas são mudanças corporais produzidas por hormônios da mulher e que o médico que melhor avalia o organismo feminino é o ginecologista.

Além dessas situações, o início da vida sexual torna a visita ao ginecologista obrigatória?

Ao iniciar a atividade sexual se torna imprescindível para toda mulher, não importa a idade, a avaliação ginecológica, pois, a partir deste momento, ela fica exposta a alguns fatores de risco como gravidez e doenças sexualmente transmissíveis, que são da nossa especialidade. No consultório ginecológico há uma situação e ambiente favorável a abordagem da saúde sexual e reprodutiva e a ideia é aproveitar cada consulta para introduzir conceitos e cuidados que vão auxiliar na constituição de uma adulta consciente e saudável.

Na primeira consulta, a mãe deve acompanhar a filha?

É importante a mãe acompanhar a filha na primeira consulta, até mesmo para que eu possa colher dados da história clínica, pessoal e familiar da paciente. Assim, tenho um primeiro tempo com a presença da mãe e um segundo momento sozinha com a adolescente. Também é um ótimo momento para a mãe conhecer a profissional que assistirá sua filha. Entretanto, partimos da ideia de que a consulta é da adolescente e não da mãe e temos o amparo legal do Estatuto da Criança e do Adolescente que traz o princípio da confidencialidade, ou seja, o adolescente, mesmo que menor de idade, tem o direito de ter guardada em segredo médico a sua história ginecológica. Só comunicamos aos pais e responsáveis situações que coloquem em risco a vida dessa adolescente.

Como os pais devem agir para que a filha se sinta segura para ir ao ginecologista?

Para que a filha não sinta incômodo para se consultar com o ginecologista, ela tem de perceber a rotina de cuidados da própria mãe que, certamente, se consulta com frequência com o ginecologista. É importante também não deixar que a consulta seja um momento de tensão e vergonha, quando os pais acusam a adolescente de ter feito “coisa errada” (ter tido relação sexual) e que para atestar esse “erro” ela precisa ir ao ginecologista. É preciso construir uma relação afetuosa e saudável com o ginecologista. Caso os pais tenham dificuldades para orientar a filha, o ginecologista atua para tirar qualquer má impressão e abrir caminho para uma boa história.

Quais as principais mudanças que ocorrem no corpo das meninas?

As mudanças físicas são muitas. Podem ser satisfatórias ou constrangedoras. A menina tem um crescimento corporal, em geral, exacerbado, principalmente e primeiramente nas extremidades (pés, mãos, orelhas, nariz), mudanças na distribuição da gordura corporal, com evidenciação das formas femininas (quadril mais largo, cintura mais finas, braços mais arredondados), crescimento das mamas, acne, além das importantes e perturbadoras mudanças emocionais. Há uma flutuação de humor tão intensa e clássica que desconcentra e cansa muito a adolescente, seus pais e até mesmo os professores. Torna-se necessário o conhecimento dessas mudanças para apaziguar o ambiente pessoal e familiar da adolescente.

Atualmente, a vida sexual de jovens está começando cada vez mais cedo. Consequentemente, surgem muitas angústias. Como eles devem ser orientados quanto a isso?

Sem dúvida, o início da vida sexual na nossa cultura é um evento importante e cercado de dúvidas, alegrias e de sofrimento. Cada história é particular e como tal, solicita um cuidado próprio. É, importante esclarecer aos pais e aos adolescentes que existe um profissional médico, o ginecologista, para acolhê-los neste momento. O ginecologista irá tratar e orientar, visando o crescimento saudável, uma vez que, a saúde sexual é essencial para o bom desenvolvimento do ser humano.