Qual linha pedagógica é melhor para a educação do seu filho?

A principal diferença entre as escolas está na linha pedagógica que cada uma segue. Ela pode ser individual ou uma mistura de diferentes ideias. Saber mais sobre como funciona cada linha, quais são os objetivos e que parte da teoria realmente pode ser vista na prática escolar é fundamental para que os pais escolham a instituição por meio de bons critérios educativos. Isso significa que são os projetos educativos que direcionam toda a metodologia da escola: desde a maneira como os professores agem e se relacionam com os alunos, até a forma como o conteúdo vai ser transmitido na sala de aula. Conheça as principais para que sua forma de pensar o mundo não destoe da educação que quer que seu filho receba na escola:

Publicidade

Tradicional

O professor é a figura central, que ensina as matérias e cobra a resposta dos alunos, geralmente por meio de avaliações. Essa linha tem grande foco no conteúdo (dever de casa, provas, etc.) e privilegia a preparação para o vestibular desde o início do currículo escolar. Seus defensores enfatizam que uma sólida base de informação é fundamental para formar alunos críticos e questionadores.

Construtivista

Desenvolvida pelo filósofo Jean Piaget, a teoria de aprendizagem não é um método, mas uma concepção de ensino. O objetivo principal é proporcionar um ambiente que permite que as crianças construam o conhecimento, em um processo inverso à escola tradicional. Isso ocorre por meio da busca por soluções para os problemas e formulação de teorias e hipóteses, em que a autonomia do aluno é que ganha destaque. Costuma ser mais prática do que teórica e as avaliações podem ocorrer de forma tradicional ou não, dependendo dos critérios de cada instituição.

Montessoriana

Essa metodologia, criada pela educadora italiana Maria Montessori, prevê que o aluno utilize o conhecimento que já tem para assimilar novos conceitos. As atividades são sugeridas e orientadas pelo professor, que deixa que a própria criança se corrija para adquirir maior autoconfiança. Essas escolas possuem módulos esquematizados para que o aluno avance e podem ter provas ou não. Há casos em que a avaliação ocorre de acordo com a produção do aluno, observada constantemente pelo professor.

Pedagogia Waldorf 

Neste sistema de origem alemã, a teoria anda de mãos dadas com a prática e as crianças possuem infinitas possibilidades para a realização de trabalhos manuais e artísticos, que permitam a expansão da criatividade e raciocínio. Divididas em ciclos de sete anos, a vida escolar da criança é acompanhada por apenas um tutor por etapa. Até os 7 anos, as atividades são puramente lúdicas. Até os 14 anos, o foco da aprendizagem é na maturidade emocional e, no período respectivo ao ensino médio, os alunos concretizam linhas de raciocínio e formas de pensamento.

Democrática 

A linha pedagógica que mais critica o sistema tradicional de ensino é a democrática, baseada na Escola Summerhill, da Inglaterra. Nesta linha, os alunos possuem liberdade para escolher as atividades que gostariam de realizar de acordo com os próprios interesses. Não há lições de casas e provas sistemáticas para as avaliações, como ocorre na escola tradicional. No método democrático, as avaliações ocorrem por meio de trabalhos práticos, artísticos e criativos, que exploram diversas capacitações e interesses dos alunos.

Como escolher?

Visitar todas as escolas candidatas para matricular o filho é fundamental para fazer a escolha certa. Neste dia, não basta apenas caminhar pelos corredores, espiar as salas de aula e observar a educação e simpatia dos profissionais. Para ter certeza de que o processo educativo é o mais adequado, é preciso ir mais longe durante a visita.

Algumas perguntas devem ser feitas para a coordenação, principalmente no que se refere à linha pedagógica adotada e como esta linha funciona na prática. Questione a instituição sobre o número de professores no quadro e se há profissionais antigos, o que pode ser um sinal de satisfação da equipe de trabalho com a escola em questão.

Não deixe de lado também os aspectos práticos da instituição, como o número de projetos, atividades extracurriculares e o incentivo para que os alunos participem de atividades práticas. Quanto mais recheada de projetos a instituição for, mais oportunidades os alunos terão para desenvolver capacitações como habilidades de comunicação e liderança.

Verifique também o quanto a escola se importa com a opinião e satisfação dos alunos com relação aos métodos aplicados. Instituições que dão mais oportunidade para os alunos se manifestarem e buscam construir um ambiente escolar satisfatório e motivador para os estudantes são também as melhores para o bom desenvolvimento dos pequenos.

Ao tirar essas dúvidas, você poderá ter uma ideia mais clara de se a instituição possui uma proposta interessante para a educação do seu filho ou se deixa a desejar em alguns aspectos.