Dicas para escolher o melhor berçário e a melhor escola para seus filhos
Não é fácil para nenhuma mamãe ter que deixar o filho no berçário ou na escola. Quando a licença maternidade acaba ou quando seu filho já está em idade escolar, surge essa preocupação. A melhor forma de passar por esse momento é escolher um local seguro, com profissionais capacitados. Tudo deve ser feito com muito cuidado, tranquilidade e antecedência. Afinal, seu filho vai passar grande parte do dia nesse local. Vários aspectos devem ser observados na hora da escolha, mas a mãe deve levar em conta a empatia e adaptação da criança, que deve se sentir bem e confortável. Está na dúvida por onde começar essa busca e avaliação? Calma, o Manual da Mamãe separou várias dicas para te ajudar!

Publicidade

Na hora de escolher o berçário

É a primeira vez que você vai ficar longe do bebê, então mantenha a calma e procure com antecedência, de preferência próximos à sua casa ou trabalho. Visite vários berçários em horários diversificados, para observar a atuação dos profissionais e o comportamento das crianças, inclusive, se elas choram muito ou se estão à vontade. Na hora de conhecer o local, preste atenção se possui os itens abaixo:

Infraestrutura adequada

O local precisa ser apropriado para as crianças. Arejado, higienizado e com iluminação natural. Aconselha-se também ter área verde para brincadeiras, além do livre acesso aos pais. Observe se há mofo, móveis muito antigos e se existe um local adequado para limpar as crianças e outro para elas repousarem.

Profissionais capacitados

É necessário que o berçário tenha uma equipe capacitada: pedagoga, monitoras infantis, enfermeira, psicólogo e nutricionista. Em caso de urgência médica, é muito importante a presença de uma enfermeira. O número ideal de crianças por funcionário é de três para cada monitor. Seu bebê precisa de profissionais que entendam o desenvolvimento infantil e estimulem as crianças de forma lúdica, com muito carinho e afeto.

Alimentação

É um dos itens mais importantes para se observar. Faça uma visita à cozinha e verifique a higiene do local. O cardápio deve ser elaborado por uma nutricionista e os pais precisam saber quantas refeições são servidas por dia. É essencial verificar como os alimentos são servidos, em pedaços muitos grandes ou com osso, por exemplo. Se seu filho perder muito peso, fique atento. Avise o estabelecimento caso seu filho possua alergia ou não possa comer algo.

Segurança

Quando entrar no berçário esteja atento à segurança do local. É importante ter sistema de segurança, com câmeras de vídeo em todos os ambientes. Os brinquedos só podem estar disponíveis para crianças com idade de usufruí-los, por exemplo, brinquedos com peças pequenas ou pontiagudas podem ser um risco à vida do seu filho. Tomadas, portas, janelas, gavetas e mesas têm de estar devidamente protegidos. O local deve ter controle de entrada e saída de crianças e funcionários. Se o berçário tiver piscina, é preciso que tenha grade de proteção.

Na hora de escolher a escola

Como na escolha do berçário, é necessário observar vários aspectos, como infraestrutra e equipe profissional para decidir sobre a melhor escola. Nessa fase é preciso estar atento à adaptação da criança, socialização com colegas e professores, além de princípios de cada família. O primeiro passo é que os pais façam uma visita a algumas escolas e decidam juntos. Levar a criança para conhecer o estabelecimento para que o processo de escolha seja coletivo também é importante. O ideal é que a criança esteja falando para explicar o que quer, se está com fome, sede ou com vontade de ir ao banheiro.

Infraestrutura

Da mesma forma que no berçário, os pais devem estar atentos à limpeza do ambiente, observar se existe um local adequado para brincadeiras e se as salas de aulas são bem-arejadas. Se na escola tiver refeitório, é importante estar atento à higienização.

Proposta pedagógica

O modelo deve ser escolhido de acordo com os princípios de cada família. Algumas escolas seguem a linha mais tradicional, outras são mais construtivistas e há ainda as voltadas ao ensino religioso. O ideal é conversar com a coordenadora da escola para entender melhor qual é o modelo proposto. De qualquer forma, em todos eles, os profissionais devem ser capacitados e capazes de facilitarem a adaptação do aluno, fazendo da escola um ambiente confortável e prazeroso. É importante que o colégio ofereça suporte psicológico e piscopedagógico.

Localização

Escolha um local de fácil acesso, próximo à casa ou trabalho. A criança deve saber onde ela está para se sentir mais segura. Se a família muda muito de casa ou de cidade, é preciso estar atento às implicações na vida escolar da criança. Se ela já está adaptada e possui vínculo com a professora e colegas, pode ser uma mudança traumática.

Adaptação

Os pais precisam saber que nem todas as crianças reagem da mesma maneira. É possível que seu filho chore nos primeiros dias, mas na semana seguinte não queira sair da escola. Porém, se o pequeno sempre chora, não gosta do ambiente e acaba ficando deprimido ou agressivo, a melhor solução é procurar outra escola. Questione sempre como foi o dia do pequeno na escola, se fez amigos, por exemplo.