Como impor limites ao seu filho?
Os pais enfrentam uma grande tarefa que é a de educar seus filhos com limites, pois a falta deles é um fator de grande preocupação, já que a tendência da criança é acreditar que pode fazer tudo o que deseja sem pensar nas consequências de seus atos. Dessa forma, apresenta condutas que prejudicam sua convivência no ambiente escolar, na socialização com os colegas e na relação familiar. “As crianças precisam aprender a ouvir ‘não’ quando necessário e saber lidar com as frustações da vida, assim se tornarão mais seguras, felizes e com baixo nível de ansiedade”, afirma a orientadora educacional do Colégio La Salle Águas Claras, Ariela Farias.

Publicidade

Mesmo sabendo que precisam ter firmeza, muitos pais abrem mão da cobrança, pois sentem-se culpados por não conseguirem acompanhar seus filhos de perto devido à correria do dia-a-dia. Com isso, tentam compensar de alguma forma, seja com excesso de mimos ou permitindo que as crianças tomem suas próprias decisões sem a orientação adequada.

Uma forma de oportunizar aos filhos a terem responsabilidades é delegando tarefas que são básicas, como  amarrar o cadarço do sapato, organizar a mochila, realizar as tarefas de casa, arrumar a lancheira, resolver pequenos conflitos, guardar os brinquedos, etc. Isso auxiliará também nas atribuições escolares, pois na escola o indivíduo tem que cumprir com suas obrigações. “As crianças desacostumadas a realizar tarefas sozinhas ficam desconfortáveis, pois não têm na escola a superproteção da família ou terceiros que façam por elas. Geralmente, as crianças sem limites resistem às regras, externando grande insdisciplina na escola por não serem acostumadas a cumprirem com suas obrigações”, ressalta.

Segundo Ariela, é importante que as crianças entendam, por exemplo, que quando tiram uma nota baixa é necessário um maior tempo de estudo e quando recebem um bilhete na agenda pela falta de alguma atividade escolar, isso não as tornará inferiores aos colegas, mas, sim, estudantes capazes de resolver suas pendências. “Os pais precisam ser firmes, deixar claro o que deve ser feito, de modo que a criança adquira autonomia e responsabilidade, tendo consciência de seus atos”, diz.

Uma educação familiar precisa ser baseada em príncipios éticos e morais que ressaltam a importância da autonomia e valores. Só assim, aprendendo que existem limites, o indivíduo conseguirá ter uma vida harmônica em sociedade, aprendendo a ser fraterno e compassivo. Isso favorece o desenvolvimento da habilidade de lidar com diversas situações que permeiam frustações e conflitos.