Aprendendo outros idiomas na infância
Atualmente, várias línguas ganham mais espaço no cenário internacional e o inglês se tornou praticamente obrigatório para quem deseja estar atualizado diante de um mundo globalizado. O francês é outro idioma importante, que possui uma alta representatividade artística, cultural e acadêmica. Os dois são uns dos seis idiomas oficiais da Organização das Nações Unidas (ONU). Diante desse cenário surge, então, a preocupação em relação ao futuro das crianças. “A proposta da Tiny é inserir os pequenos nesse contexto: aprender uma segunda (ou terceira) língua brincando”, explica Lina Borges Rakov, especialista em Estudos Internacionais pela Universidade de Montreal, Canadá.

Publicidade

Na Tiny, a criança aprende inglês e/ou francês de uma forma lúdica, divertida, de maneira a despertar seu interesse em aprender outros idiomas, além do português. Com a participação dos pais, esse processo torna-se ainda melhor, pois isso proporciona momentos familiares prazerosos e uma oportunidade para os pais aprenderem e praticarem inglês e francês com seus filhos. Quanto mais cedo os pequenos iniciam os estudos, melhor será a compreensão do idioma, pronúncia e comunicação. “As crianças são extremamente capazes de aprender mais de um idioma, principalmente se forem sensibilizadas desde seus primeiros anos de vida”, informa Lina.

Para os pequenos, em desenvolvimento constante, a melhor forma de aprender seria inserindo esse novo idioma no que eles mais gostam de fazer: brincar. “A ludicidade é inerente ao desenvolvimento infantil e, por isso, é importante proporcionar atividades em que a criança divirta-se ao entrar em contato com as novidades e aprenda espontaneamente. Evitam-se, assim, aversões ou traumas que, muitas vezes, a criança adquire ao estar em um ambiente ao qual não se adapta, ou ainda, quando tenta aprender algo para qual não está disposta ou preparada”, ressalta.

Desta forma, segundo Lina, havendo a possibilidade da criança brincar e simultaneamente entrar em contato com uma segunda língua, ela vai automaticamente se sensibilizar a esse novo idioma. “Os fonemas irão se tornar familiares, as palavras serão introduzidas e, ao longo do tempo, será possível compreender o segundo idioma, respeitando-se o tempo e a maturação da criança para esse processo”, enfatiza. Se essa rotina for mantida, em poucos anos a criança será fluente e poderá se comunicar em mais de um idioma.

“Quanto mais cedo começar, mais cedo aprenderá”