Melasma tem tratamento!
Você está grávida e sofre com manchas acastanhadas que se recusam a sair do seu rosto? Fique atenta! Essas manchas, cientificamente conhecidas como Melasma, manifestam-se com mais frequência durante a gestação e são bastante resistentes. O dermatologista, titular em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Dr. Alessandro Alarcão, explica que o tratamento para melhorar o melasma pode começar ainda na gestação, com medicamentos seguros para essa época, como o ácido azeláico e o glicólico, e após o parto pode-se iniciar o uso do ácido tranexâmico, do Spectra Laser Toning e o uso do microagulhamento, melhores opções para combater as manchas. Confira com o Dr. Alessandro como funciona cada tratamento:

Publicidade

Spectra Laser ToningTM

O Spectra Laser ToningTM, um laser eficiente que, além de clarear, diminui o risco das manchas reaparecerem. Esse laser não esquenta a pele e atua diretamente no melanócito, que produz melanina em exagero no melasma, e reduz definitivamente o tamanho das células do pigmento. Além de clarear as manchas, deixa a pele viçosa e com aspecto rejuvenescido. O tratamento consiste em sessões com intervalos semanais até o clareamento da mancha e, então, sessões de manutenção. A sessão é rápida, dura em média 10 minutos, é indolor e com poucos efeitos colaterais.

Microagulhamento (IPCA)

O microagulhamento ou a indução percutânea de colágeno (IPCA) reduz o melasma e deixa a pele renovada. O procedimento é realizado por meio de dispositivos compostos por pequenas agulhas que causam microperfurações na pele, que estimulam a produção de colágeno, substância responsável pela elasticidade, firmeza e qualidade da pele, reduzindo as manchas. Geralmente, cada sessão dura cerca de 30 minutos a 1 hora e o intervalo entre elas é de cerca de 15 dias. Após o procedimento, pode haver vermelhidão e inchaço leve a moderado, e a recuperação é muito rápida.

Ácido Tranexâmico

A aplicação do ácido tranexâmico ajuda a conter o desenvolvimento das inflamações no tecido cutâneo, causado pela plasmina, reduzindo a presença das manchas na pele. Pode ser utilizado em cápsulas via oral, cremes tópicos e também como injeções intradérmicas, método que apresenta melhores resultados. É recomendada a realização de, pelo menos, 10 sessões de aplicação do medicamento, com intervalos de aproximadamente 15 - 30 dias. O tratamento apresenta baixo índice de efeitos colaterais, como ardência ou irritação na pele. Os resultados são satisfatórios e duradouros.

Esse conteúdo foi feito em parceria com

Dr. Alessandro Alarcão


Conheça mais dele