Check-up da beleza pós-gestação
No quesito beleza e estética, cada mulher reage de uma maneira às alterações hormonais que ocorrem na gravidez. Algumas têm muitas estrias e manchas na face, enquanto outras sofrem com o inchaço, a celulite e o excesso de peso. Segundo a dermatologista Dra. Bettina Sanson, entre os aspectos que interferem no aparecimento de tudo isso estão o sol, a idade da gestante, a predisposição genética e o sedentarismo. Prevenir esses problemas torna-se fundamental, mas se eles aparecem, a dermatologia já dispõe de tratamentos diversos, para serem realizados logo após o parto. Fique por dentro com as dicas da Dra. Bettina:

Publicidade

MELASMA

A exposição ao sol ou luz fria e a ação dos hormônios favorecem a produção excessiva de melanina, que provoca as manchas escuras no rosto.

Como prevenir:

Como não podemos evitar a ação dos hormônios, a gestante deve usar filtros solares efetivos, abusar dos bonés e chapéus e evitar horários de exposição solar perigosa.

Como tratar:

Após a gestação, cremes clareadores prescritos por médicos e filtros solares ajudam a atenuar as manchas. Luz pulsada e lasers fracionados, como o pixel e o fraxel, as clareiam, porque produzem pequenos pontinhos de queimadura, destruindo o pigmento microscopicamente e o reabsorvendo gradualmente. Peelings químicos agressivos devem ser evitados, porque produzem inflamação e hiperpigmentação posterior, dificultando o clareamento. Máscaras clareadoras leves e progressivas são ótimas, porque clareiam devagar e sem produzir inflamação na pele.

 

ESTRIAS

A hereditariedade define a elasticidade da pele e determina o surgimento das estrias, mas o mais importante para evitá-las é controlar o peso e cuidar da pele.

Como prevenir

• Usar hidratantes corporais com óleos incorporados, que impedem a perda da umidade da pele após o banho. Entre os mais poderosos estão os hidratantes à base de óleo de amêndoas, sementes de uva, abacate ou macadâmia;

• Usar hidratante duas vezes por dia na barriga, glúteos, coxas e seios (menos nos mamilos, que devem ficar espessos e resistentes para prevenir rachaduras durante a amamentação);

• Usar sutiãs com alças e bojos reforçados, que dão sustentação aos seios;

• Controlar o peso e evitar sedentarismo;

• Reduzir o inchaço, que também obriga a pele a se esticar, fazendo duas vezes por semana drenagem linfática e mantendo uma alimentação saudável.

Como tratar

Finalizada a gravidez, pode-se avaliar com o dermatologista qual técnica adotar para reduzir os sinais adquiridos. Aplicações de laser, microdermoabrasão (lixamento), carboxiterapia ou microagulhamento.

CELULITE E INCHAÇO

Na gravidez, a circulação sanguínea e a linfática superficial tornam-se mais lentas, favorecendo o acúmulo de toxinas e evidenciando a celulite que já existe. O inchaço nas pernas, ainda mais intenso na gestação, contribui para acentuar essas marcas, que voltam ao normal depois da gestação.

Como prevenir

A gestação planejada, já com peso ideal, evita muitos problemas, dentre eles a celulite. Conciliar atividade física aeróbica de baixo impacto, como caminhar ou nadar, com massagens ou drenagem linfática, duas vezes por semana, ativa a circulação, elimina toxinas, diminui o inchaço e controla o aumento do peso. É bom também evitar uma alimentação rica em gorduras, condimentos e sal, que favorecem a retenção de líquidos. A ingestão de água para eliminar toxinas evita o inchaço.

Como tratar

Se a celulite não regredir depois da gestação, podem ser indicados tratamentos de acordo com a intensidade do problema: infravermelho, radiofrequência, ultrassom e massagens são tratamentos estratégicos para queimar gordura localizada e homogeneizar o tecido. Em casos mais avançados de celulite, a indicação pode ser a subcisão, uma microcirurgia que ajuda a reduzir o problema. “A melhor aposta para se livrar da celulite após a gravidez é reduzir o peso o mais rápido possível após o parto. Quanto mais esse processo demorar, mais difícil será para eliminar a celulite”, destaca.