Benefícios da radiofrequência no pós-parto
Toda mulher deseja corrigir uma imperfeição aqui, dar um jeitinho naquela gordurinha ali. E para tratar esses probleminhas que incomodam tanto, surgiu um método não invasivo, fruto da mais alta tecnologia, que permite modelar o corpo e melhorar a textura da pele para um aspecto liso e tonificado. É a radiofrequência. A técnica consite em gerar energia e aquecer a camada profunda da pele, enquanto a epiderme se mantém a uma temperatura fria e protegida, o que causa o estímulo da produção de colágeno e desta forma a pele ganha firmeza.

Publicidade

“A radiofrequência permite realizar tratamentos faciais e corporais de forma indolor e não invasiva. Serve para diminuir rugas, reduzir celulites, estrias, fibroses, cicatrizes de acne, aumenta a oxigenação, melhora e reorganiza as fibras de colágeno e elastina, hidrata a pele, combate a flacidez e gordura localizada na barriga, braço, flancos, pescoço”, explica a fisioterapeuta Dra. Adelaide Salles. Confira mais sobre o método:

A radiofrequência  

O aquecimento induzido aumenta o metabolismo das células dos fibroblastos e a remodelação do colágeno, o que gera a aparência de uma pele mais firme e retraída em longo prazo e a mesma continuará a produzir neocolágeno (novo colágeno) por 3 meses ainda, depois do término do tratamento.

Benefícios

A radiofrequência é indolor, não invasiva, não há cortes, lesões superficiais, edemas ou equimoses. Além disso, não há necessidade de afastamento do trabalho ou atividades desportivas.

Sessões

A profissional irá espalhar um gel específico sobre a área a ser tratada. Depois, ela deslizará a manopla de radiofrequência, com movimentos circulares, verificando constantemente a temperatura da região, com auxílio de um termômetro a laser. Por fim, deverá retirar o gel e limpar a área tratada.

Resultados

O número de sessões de radiofrequência a fazer vai depender dos objetivos do paciente, mas os resultados podem ser sutilmente observados logo na primeira sessão. No rosto, a partir da quinta sessão, haverá uma grande diferença, já no corpo, dependendo da graduação, de 10 a 20 sessões serão necessárias.

Contraindicação

A radiofrequência é contraindicada para gestantes; pessoas com feridas no local a ser tratado; marca-passo; durante quimioterapia; doenças ativas e evolutivas.

Riscos

A radiofrequência é bastante segura, e os riscos são mínimos e estão relacionados à possibilidade de queimadura na pele pelo mau uso do equipamento.