Seu filho tem terror noturno?
Mamãe, o seu filho tem crises de choro no meio da noite? Grita, esperneia, senta na cama e demonstra medo? Isso pode ser o chamado “Terror noturno”, distúrbio do sono comum em cerca de 3% das crianças. Geralmente, acomete mais meninos que meninas, entre 2 e 6 anos de idade. Ocorre de 2 a 4 horas depois de dormir, período em que a criança muda do sono profundo para um sono leve (a fase em que os olhos se movimentam rapidamente durante o sono).

Publicidade

O terror noturno, muitas vezes, pode ser confundido com o pesadelo. Entretanto, os dois são diferentes. Geralmente, o pesadelo faz com que a criança acorde chorando, gritando e com medo, mas ela se lembra do que estava sonhando. Já o terror noturno, a criança vai chorar, gritar, espernear, mas não acorda. E, no outro dia, não se lembrará de nada. É uma situação que apavora bastante os pais. Contudo, não se desespere! Esses episódios de terror tendem a desaparecer de forma natural, conforme a criança cresce.

Causas

O terror noturno apresenta causas desconhecidas, porém, fatores psicológicos podem desencadear as crises, como: mudança de escola, evento traumático, separação dos pais, perda de um bicho de estimação, briga com irmão, etc. O distúrbio pode trazer ainda sofrimento, medo, angústia e possível desenvolvimento de insônia precoce para a criança.

O que fazer

Durante as crises, os pais precisam tomar algumas medidas para acalmar a criança e não deixar que ela se machuque. Não se deve gritar com a criança nesse momento ou acordá-la rapidamente, pois o que duraria cerca de segundos pode demorar a passar.  Abrace seu filho com carinho. Pegue-o nos braços, balance suavemente, cante uma canção de ninar, diga a ele que o ama... Faça tudo isso repetida vezes, se necessário, até que o ataque passe.

De toda forma, caso esses episódios permaneçam, o recomendado é procurar tratamento especializado.