Qual o melhor tipo de máscara para crianças?

Quando precisam sair de casa, crianças a partir de 2 anos também devem usar máscaras. Mas qual o tipo mais indicado conforme a idade? Confira guia abaixo:

MÁSCARA DE TECIDO
Faixa etária: indicadas para crianças a partir dos dois anos e que não apresentem dificuldades motoras para não correr o risco de sufocamento.

Material: o dispositivo de proteção ideal deve ter três camadas para garantir a função de barreira. O material mais recomendado para a primeira camada interna é algodão, para que fique mais confortável no rosto infantil e evite reações alérgicas.

Tempo de uso: o tempo de uso das máscaras de pano por crianças varia de duas a quatro horas. Entretanto, esse período pode ser menor caso elas umedeçam ou fiquem visivelmente sujas.

Higienização: após o uso, elas devem ser lavadas com água e sabão – podendo ser misturadas com outras peças na máquina de lavar. Já para finalizar o processo correto de higienização, os especialistas recomendam passá-las com um ferro quente.

Descarte: sinais visíveis de desgaste no pano e elásticos são indícios de que é hora de descartar a máscara e comprar outra. O mesmo vale se o dispositivo de proteção já tiver sido lavado por mais de 30 vezes.

MÁSCARA CIRÚRGICA INFANTIL
Faixa etária: a partir dos dois anos, desde que sejam específicas para o público infantil e encaixem corretamente no rosto dos pequenos, cobrindo nariz e boca, sem vazar ar pelas laterais.

Material: sempre de material descartável. Costumam ter um clipe nasal (arame moldável), que tende a permitir uma melhor aderência ao rosto infantil.

Tempo de uso: assim como as de pano, as cirúrgicas podem ser usadas por, no máximo, quatro horas. Mas caso elas sujem ou molhem antes deste intervalo, devem ser descartadas.

Higienização: não pode ser reutilizada.

Descarte: a máscara cirúrgica infantil deve ser jogada fora logo após o uso e não pode ser lavada.

MÁSCARA PFF2
Faixa etária: é indicada apenas para crianças acima de seis anos.

Material: pode ter formato de concha ou bico de pato e precisa ter especificações na embalagem, como selo do INMETRO e número do CA, o Certificado de Aprovação – que pode ser conferido no site ConsultaCA para saber se é realmente a PFF2. Há também a especificidade de que os elásticos não sejam atrás da orelha, mas na nuca e no topo da cabeça.

Publicidade

Tempo de uso: a PFF2 pode ser usada por volta de oito horas, com o cuidado na hora de colocá-la e retirá-la para não contaminá-la tanto internamente quanto externamente.

Higienização: para limpá-la, é importante que a PFF2 não seja lavada ou colocada no sol. Mas deixada em um ambiente arejado, de três a sete dias.

Descarte: o tempo de uso varia. De acordo com o CDC, a peça poderia ser reutilizada até cinco vezes com os intervalos estabelecidos. Caso a pessoa tenha tido contato com alguém infectado, a PFF2 usada deve ser imediatamente descartada.

Escolha
Diante dessas informações, para crianças entre dois e seis anos, a máscara cirúrgica é mais eficaz que a de pano, já que ela pode chegar até 90% de proteção e possui uma camada filtrante. Só que de nada adianta o tipo de dispositivo, se ele não estiver adaptado corretamente.

Por isso, se compararmos uma máscara de pano capaz de vedar o nariz, a boca e evitar a passagem de ar pelas laterais com uma cirúrgica que não se adapta com facilidade ao rosto infantil, é preferível que os pais optem pela máscara caseira para maior segurança dos pequenos.

 

Para mais conteúdo, siga o Manual da Mamãe no Instagram @manualdamamae 

Acesse também nossa página no Youtube: youtube.com/manualdamamae 

Você pode contar também com o curso Estou Grávida, e Agora? São videoaulas para acabar com todas as inseguranças da gestação e dos primeiros cuidados com o bebê. Saiba mais em: www.manualdamamaeip.com