Mãe compartilha foto de filha com herpes para conscientizar sobre visitas
Com apenas seis meses de vida, a filha de Hollie Cruickshanks foi diagnosticada com herpes ao apresentar feridas por todo o rosto e até mesmo no olho. A infecção viral se caracteriza pela formação de pequenas bolhas. A menina demorou quase um ano e meio para ficar totalmente curada.

Publicidade

A mãe ainda tentou proteger a filha da doença. Em sua gestação, Hollie Cruickshanks viu um post de uma mãe que falava que seu bebê pegou herpes devido a um beijo. Assustada com a situação, ela orientou todos os amigos e familiares a não beijar sua filha.

As pessoas pensavam que ela paranoica, mas ela diz que só estava tentando proteger sua filha. No entanto, ela não conseguiu evitar essa situação, já que os médicos lhe contaram que a herpes poderia ser passada também pelas mãos.

Um dos principais temores de Hollie era que sua filha perdesse a visão, devido à doença. Felizmente, os médicos fizeram os exames e não constataram nada de anormal nos olhos de Oarlah. Após 15 meses, a menina se recuperou completamente.

Para se prevenir desses e outros inconvenientes, assista: 

https://youtu.be/IY-an8JQ9kc

Como prevenir

A herpes pode ser fatal para bebês, que possuem um sistema imunológico mais frágil — ainda em formação. Em caso de contaminação pelo olho, por exemplo, o vírus atinge o nervo óptico, podendo levar a um quadro de meningite.

"As defesas de um bebê pequeno são transmitidas pela mãe, durante a amamentação. Se essa mãe não teve contato com herpes simplex, ela não passou anticorpos para o bebê. Com isso, ele não consegue combater a doença", explica a infectologista Raquel Muarrek ao site da Revista Crescer.

Quanto ao contágio, pode ser que alguém que carregue o vírus tenha beijado as mãos da criança e logo depois o bebê tocou o próprio olho. A mão também é capaz de transportar o vírus.

O herpes pode ficar vivo por até 15 horas em um ambiente. Quando contamina uma pessoa sem defesas, ele fica naquele local e forma essas bolhas, que tem uma alta concentração viral.

A criança só começa a adquirir uma maior proteção, em média, a partir dos três anos de idade. Por isso, a prevenção é tão importante. A orientação é sempre lavar bem as mãos antes de pegar um bebê e jamais beijá-lo no rosto e nas mãos.

Com informações da Crescer