Covid-19 e gravidez: que riscos estão comprovados?

Desde o início da pandemia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou as gestantes como grupo de risco para a Covid-19. No Brasil, o número de mortes entre gestantes e puérperas é 3,4 vezes maior do que no restante do mundo, a internação ocorre 31,5% das vezes entre gestantes contra 5,8% entre as não gestantes.

Elas também são mais propensas a necessitar de ventilação mecânica do que mulheres não grávidas e possuem maior risco de parto prematuro, o que demonstra a importância de cuidados redobrados em todas as fases da gestação.

Em artigo de revisão que avaliou 77 estudos foi observado que gestantes com mais idade, IMC elevado, hipertensão e diabetes pré-gestacional têm risco de complicações maior.

Assim, em caso de infecção na gestação, a grávida deve aguardar o período de isolamento para retornar as consultas, de preferência com equipe especializada em gestação de alto risco, com ultrassons mais frequentes e controle rigoroso da pressão, pois foi observado que após a infeção pela covid-19 o risco de hipertensão na gravidez e pré-eclâmpsia foi maior.

No trabalho
Não existe lei obrigando o afastamento da trabalhadora gestante durante o período da pandemia da covid-19. Há um Projeto de Lei da Câmara dos Deputados estabelecendo o direito ao afastamento, para que o trabalho seja realizado em home office ou em caso de incompatibilidade entre o trabalho remoto, que a gestante seja efetivamente afastada, mas seja mantida a sua remuneração. Contudo esse projeto está parado no Senado deste agosto de 2020.

Em janeiro de 2021, o Ministério Público do Trabalho emitiu uma Nota Técnica estabelecendo 'diretrizes' para serem adotadas por empresas, pessoas físicas empregadoras, sindicatos e órgãos da administração pública nas relações de trabalho, a fim de garantir a proteção de trabalhadoras gestantes.

Essa Nota Técnica não tem força de lei, ou seja, são orientações, mas se a gestante está em um ambiente de trabalho ou se seu trajeto até o trabalho possui risco, com apoio de laudo médico a gestante pode buscar judicialmente a aplicação dessa diretriz.

Publicidade

 

Para mais conteúdo, siga o Manual da Mamãe no Instagram @manualdamamae 

Acesse também nossa página no Youtube: youtube.com/manualdamamae 

Você pode contar também com o curso Estou Grávida, e Agora? São videoaulas para acabar com todas as inseguranças da gestação e dos primeiros cuidados com o bebê. Saiba mais em: www.manualdamamaeip.com