Preocupações comuns com o recém-nascido
Um mundo totalmente novo. É assim que a mamãe se sente nos primeiros dias do recém-nascido em casa. Surgem muitas dúvidas envolvendo a saúde e o bem-estar do bebê, mas é importante ter calma e não fazer de eventos naturais do desenvolvimento motivos para tanta preocupação. Com a ajuda do pediatra Dr. Márcio Wanderley, listamos as preocupações mais comuns das mamães com os recém-nascidos:

Publicidade

Preocupações mais comuns:

Cólicas: ainda há muitos pontos obscuros sobre esse assunto. Não existe, por exemplo, uma causa exata. As cólicas são atribuídas à associação de alguns fatores, entre eles a imaturidade dos sistemas gastrointestinal e nervoso central, que, entre outras funções, controla as contrações do intestino. Como o processo de formação e funcionamento desses mecanismos ainda não está completo, ocorrem movimentos intestinais descoordenados que acabam provocando as dores. Passados três meses, esses sistemas adquirem maturidade e, geralmente, as cólicas deixam de fazer parte da rotina da família. Algumas medidas podem evitar o aparecimento das cólicas como massagens circulares em abdômen, flexão e extensão das pernas. Não há medicamentos eficazes para evitar as cólicas.

Umbigo: o umbigo deve ser lavado durante os banhos normalmente. Geralmente, os pais têm receio de tocar no umbigo por acharem que vão provocar dor, o que não acontece. O curativo deve ser feito com álcool 70%, mais ou menos três vezes ao dia, de preferência com gaze. Evite usar algodão ou cotonetes. Não há necessidade do uso de faixas, tampouco enrolar o umbigo com gaze úmida ou seca.

Regurgitação: os episódios de regurgitação são muito comuns nos recém-nascidos lactentes abaixo de seis meses, pois neste período o trânsito gastrointestinal lento e a incompetência do cárdia (espécie de válvula que impede o retorno dos alimentos ingeridos do estômago para o esôfago) são os principais fatores causais. Geralmente, ocorrem sem sintomas, sem a atuação da musculatura, não causa o esvaziamento completo do estômago e muitas vezes acontecem por ingestão além da capacidade gástrica ou por aumento de pressão abdominal.

Febre: a febre no recém-nascido é motivo de preocupação, pois algumas infecções no período neonatal podem evoluir com septicemia, que é uma situação com elevado risco de morte para a criança e com necessidade urgente de internação em unidade de terapia intensiva.

Soluços: não é raro os recém-nascidos apresentarem soluços mais de uma vez ao dia. As causas ainda são desconhecidas, mas sabe-se que a irritação ou estimulação do diafragma em eventos que distendem o estômago, como ingestão aumentada de leite, por exemplo, são causas dos soluços episódicos como ocorrem com recém-nascidos e lactentes jovens. Na maioria das vezes, os soluços são inofensivos e desaparecem espontaneamente em minutos.