Por que a dor de ouvido é tão comum na infância?

Até os 2 anos, a criança deve apresentar um quadro de infecção de ouvido, a chamada otite, pelo menos uma vez. Isso porque até os 2 anos o sistema de defesa do organismo não produz os anticorpos contra as principais bactérias e vírus e os pequenos tendem a ficar mais resfriados ou com gripe nessa fase da vida. Essas doenças aumentam a secreção no nariz e, consequentemente, as chances de ela chegar até os ouvidos.

Além disso, o canal que liga a tuba auditiva ao nariz é curto e horizontal nas crianças (nos adultos, é longo e vertical) e, sendo assim, uma infecção nas fossas nasais tem mais chance de chegar ao ouvido e causar a otite.

Existem dois tipos de otite: a externa, que acontece no canal do ouvido, e a média, para dentro do tímpano. O primeiro tipo é comum no verão, pois a criança passa muito tempo dentro da água, seja da piscina ou do mar, e a alta umidade é um fator de risco. Se seu filho faz natação, avalie a higienização do local e compre protetores de ouvido.

Já o segundo tipo acaba sendo o mais recorrente o ano todo, pois é causado por alergias e problemas respiratórios – esses últimos, em alta no inverno. Tanto no caso da otite média quanto da externa, um exame clínico benfeito pelo pediatra ou pelo otorrinolaringologista, mais o histórico do desconforto, é suficiente para definir o diagnóstico.

Sintomas
Ambos os tipos de otite têm manifestações parecidas. Além de febre, a criança pode reclamar da dor e levar as mãos à região. As menores, que não verbalizam bem, ficam irritadas e perdem o apetite. No caso da otite média, há ainda a sensação de ouvido tampado. Como esses sintomas incomodam muito, leve seu filho ao pediatra ou a um pronto-socorro. Quando não tratada, a infecção pode evoluir e causar problemas graves, como perda auditiva.

Se for externa, o médico pode indicar remédios em gotas para pingar dentro do ouvido. Se for a média, é recomendado medicamento via oral. Por isso, não use qualquer tipo de remédio – nem aquele que foi receitado a última vez que seu filho sentiu a dor – antes de a criança passar por um especialista. Vale lembrar ainda que não se deve, nunca, colocar qualquer produto no ouvido, como azeite quente. Pode piorar o estágio da infecção e prejudicar ainda mais a saúde do pequeno.

Prevenção
A primeira forma de prevenir a otite é amamentar exclusivamente até o sexto mês, porque, junto com o leite, a criança recebe anticorpos da mãe. Outro benefício está relacionado à sucção. Quando ela suga o leite, faz uma força que causa uma pressão negativa na boca e evita que o líquido reflua pelo nariz e cause alguma inflamação.

No caso de uso de mamadeira, vire-a de cabeça para baixo. Se o bico gotejar, troque-o. Na hora de oferecer qualquer líquido ao seu filho, posicione o corpo dele sempre a 45º, ou seja, com o tronco levemente levantado.

Também mantenha o calendário de vacinação em dia, principalmente contra gripe e pneumococo – ambas as vacinas são gratuitas para menores de 2 anos na rede pública. Como é importante manter as vias respiratórias sempre limpas, evite expor a criança a mudanças drásticas de temperatura. Ela pegou um resfriado? Assoe bastante o nariz, evitando que a secreção contamine o ouvido. Também não use hastes flexíveis para limpar os ouvidos e sempre coloque tampões caso seu filho queira nadar.

Publicidade

Via Revista Crescer

 

Para mais conteúdo, siga o Manual da Mamãe no Instagram @manualdamamae 

Acesse também nossa página no Youtube: youtube.com/manualdamamae 

Você pode contar também com o curso Estou Grávida, e Agora? São videoaulas para acabar com todas as inseguranças da gestação e dos primeiros cuidados com o bebê. Saiba mais em: www.manualdamamaeip.com