Os segredos da alimentação infantil
Não tem coisa mais deliciosa do que acompanhar o desenvolvimento do filho, não é verdade? Vê-lo ganhar peso e crescer com saúde deixa qualquer pai ou mãe muito feliz. E para que isso aconteça, é fundamental que a criança tenha uma alimentação saudável. “O ditado popular, ‘somos o que comemos’, se aplica totalmente à criança, pois o que escolhemos colocar no prato de nossos pequeninos irá influenciar sua saúde até a vida adulta. Ao estimular hábitos alimentares saudáveis desde cedo estaremos garantindo a saúde atual e futura da criança”, explica a Pediatra, Chef de cozinha e Consultora da Bonapapa Dra. Patrícia Helena Koch.

Publicidade

A criança na sua primeira infância vai experimentar um progresso significante na evolução e estabelecimento do seu comportamento alimentar. Por isso, é indispensável oferecer representantes de todos os grupos alimentares. A carne ou víscera, por exemplo,

São fontes importantes de proteína, que tem papel fundamental para o crescimento da criança, além de serem fontes de ferro, essenciais para a prevenção da anemia. Verduras e legumes são fontes importantes de fibras e vitaminas; os tubérculos fornecerão o amido que irá gerar a energia necessária para o crescimento e para as atividades diárias da criança. “Na infância, o bebê estará desenvolvendo seu paladar e quanto mais variada a dieta, mais amplo será seu gosto”, destaca.

De acordo com a Dra. Patrícia, a refeição da criança deve conter ao menos um ingrediente de cada grupo alimentar. Um pedaço de carne ou víscera, um legume, uma verdura, um tubérculo, uma leguminosa e tempero natural (alho, cebola, orégano, etc). Vale lembrar que o sal não deve ser utilizado. Todos os ingredientes devem ser frescos e bem higienizados e a carne deve ser sempre de boa procedência. Quanto mais variado for o número de ingredientes, melhor para a criança. As papinhas dos bebês não precisam ser sem sabor e sempre aquela mesma fórmula: batata, mandioquinha e cenoura! É bom oferecer uma papa gostosa, colorida, que nós adultos comeríamos com prazer.

 

Importante

A integração familiar é fundamental para que se construa um momento prazeroso durante as refeições. “Devemos tentar nos sentar à mesa com nossos filhos e participar ativamente. A TV deve estar desligada e brincadeiras para que a criança coma devem ser evitadas. A criança, desde cedo, vai aprender que o momento da refeição é importante para sua saúde, e também é um momento de prazer tanto no paladar quanto no convívio familiar”, orienta a Dra. Patrícia. Os filhos são reflexos dos pais, sempre irão tentar seguir o exemplo que tem em casa. Não adianta nada oferecer uma dieta saudável para os pequenos e depois não comer o mesmo. É preciso ser coerente na informação passada para as crianças e isso se aplica em tudo, desde cidadania à alimentação.