Os primeiros dentinhos do bebê
Choro, irritação, falta de apetite, dificuldade para dormir... Prepare-se mamãe, os primeiros dentinhos estão chegando! Isso acontece, geralmente, por volta dos seis meses de idade, embora possa nascer um pouco antes ou atrasar um pouco mais. É bastante comum essa fase causar preocupação aos pais. Entretanto, tudo isso deve ser encarado com serenidade e segurança para garantir que o desenvolvimento dos dentinhos de seu bebê seja tranquilo e saudável. Para preparar as mamães e papais, a especialista em odontopediatria Dra. Lorena Leão responde as principais questões sobre os primeiros dentinhos do bebê:

Publicidade

Quando surgem os dentinhos de leite?

Eles surgem entre o sexto e o nono mês, mas a arcada de leite se desenvolve até os três anos. Nesta idade, a criança deverá ter dez dentes superiores e dez inferiores. Alguns bebês já nascem com dentinhos (dentes natais) ou iniciam esse processo ainda no primeiro mês (dentes neonatais). Nestes casos, um odontopediatra deve ser procurado, e também se, ao completar um ano, o pequeno ainda estiver sem nenhum dente.

Como percebo que os dentinhos estão a caminho?

Cerca de um mês antes, a gengiva incha e avermelha, deixando a criança irritada, com dificuldade para dormir, sem apetite e chorona. Além disso, o estoque de babadores precisa ser reforçado, pois a salivação aumenta, devido ao amadurecimento das glândulas salivares, e a criança não consegue engolir o excesso de líquido.

 

Por que a chegada dos dentes causa febre e diarreia?

Uma febrinha leve é normal, já que a erupção dos dentes desencadeia um processo inflamatório. Quanto à diarreia, como os pequenos levam tudo à boca tentando amenizar o incômodo, correm mais risco de entrar em contato com objetos contaminados. É daí que podem vir os distúrbios gástricos que causam diarreias.

 

O que faço para amenizar o incômodo do meu bebê?

Massagens e contato com baixas temperaturas ajudam a descongestionar as gengivas e deixam seu pequeno mais confortável. Envolva o dedo em uma gaze ou fralda embebida em água filtrada ou soro fisiológico e faça uma leve fricção em toda gengiva. Outra opção é refrigerar os mordedores de gel antes de dá-los a seu filho.

 

É preciso cuidar da higiene bucal do bebê antes mesmo de os dentinhos nascerem?

A limpeza com gaze ou dedeira embebida em soro fisiológico deve integrar a rotina do pequeno desde sempre. Mesmo que seu bebê possua apenas amamentação materna, higienize a boquinha dele após cada mamada, inclusive à noite, quando a produção de saliva cai, diminuindo a proteção natural contra germes. Esse hábito ajuda a prevenir um dos piores vilões da dentição de leite: a cárie de mamadeira.

 

Em que momento devo marcar consulta no odontopediatra?

Se o pediatra do bebê acompanha a dentição dele, a visita pode ser adiada até um ano. Caso note alterações no formato, na cor e no posicionamento dos dentinhos, a consulta deve ser antecipada. A mamãe deve ficar de olho ainda em traumas, como quedas, e no surgimento de manchas brancas ou escuras, que podem indicar cáries.

 

O que é feito na primeira consulta?

Na primeira consulta, o dentista fará uma avaliação geral e orientará sobre cuidados de higiene, alimentação e hábitos de sucção, como chupeta, mamadeira e dedo. Além disso, ressaltará a importância dos cuidados com a primeira dentição, fundamental para deglutição e a digestão dos alimentos, que funciona como guia da dentição permanente e influencia no desenvolvimento da fala.

 

A partir de quando devo escovar os dentes do meu filho?

Comece assim que sair o primeiro dentinho. Prefira uma escova de cabeça pequena e cerdas macias e planas. Realize a limpeza sempre após as refeições e à noite, usando pasta sem flúor e em pequena quantidade.

A saúde bucal dos pais interfere na do bebê?

Sim! Além de risco de transmissão direta das bactérias da cárie, existe a questão do exemplo para a formação de hábito. A criança precisa perceber que os pais não só ensinam a cuidar dos dentes como também seguem essa rotina. Escove os dentes na frente do seu filho, e quando ele tentar imitá-lo, ajude-o a manusear a escova, fazendo de conta que ele está escovando sozinho e você só vai dar um retoque.

Especialidades para você e sua família sorrirem melhor!

Odontologia para Gestantes: durante o período de gestação, ocorre uma série de alterações no organismo da futura mamãe que podem levar ao aparecimento de problemas dentais e gengivais, sendo, assim, importante o acompanhamento com um profissional.

Odontopediatria: acompanha a criança realizando orientações quanto à saúde bucal, prevenindo, diagnosticando e tratando as possíveis alterações na dentição decídua (de leite), evitando problemas maiores e mais severos na dentição de leite e na permanente.

Ortodontia e Ortopedia: esta especialidade utiliza aparelhos fixos ou removíveis para a correção do posicionamento dentário e ósseo, visando uma melhor estética e função em crianças e adultos.

Fonoaudiologia / Motricidade Orofacial: sabemos que alterações dentárias e ósseas podem interferir nas funções de mastigar, deglutir, falar e respirar. Esta especialidade da fonoaudiologia tem como objetivo o restabelecimento dessas funções.

ATM e DTM: trata a disfunção da articulação temporomandibular, que é uma alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula, que pode não estar funcionando adequadamente.

Estética Dental: técnicas inovadoras são utilizadas para transformar imperfeições do seu sorriso, tais como resinas, porcelanas, facetas, prótese, clareamento dentário, etc.

Bruxismo: trata o hábito de ranger os dentes.

Apneia do sono: o tratamento visa restaurar a respiração regular durante a noite e aliviar os sintomas como ronco alto e sonolência durante o dia.

Periodontia / Plástica Gengival: especialidade responsável pela prevenção e tratamento das doenças que acometem os tecidos de sustentação e proteção dos dentes (tratando gengiva e o osso), devolvendo a saúde da sua gengiva. Outro tratamento periodontal muito utilizado é a periodontia estética, conhecida como plástica gengival, que consiste em tratar tamanho e formato da sua gengiva.

Endodontia: especialidade que trata o interior do dente, a polpa dental, que é onde ficam as terminações nervosas e a irrigação sanguínea do dente, popularmente conhecida como canal.

Cirurgia e traumatologia: especialidade que trata cirurgicamente os problemas bucais e estruturas anexas tais como: extração dentária simples, extração de dentes inclusos (siso, canino), dentes supranumerários, tracionamento dentário, cirurgia parendodôntica, drenagem de abscessos, enxertos ósseos, malformação estrutural e facial e fraturas faciais.

Implantes dentais: é a especialidade responsável pela colocação de implante, que consiste em um parafuso de titânio que é colocado, por meio de uma cirurgia, no osso alveolar (maxila e/ou mandíbula). Esse parafuso substitui a raiz do dente.

Estomatologia: é a especialidade que se dedica ao diagnóstico clínico e tratamento das alterações patológicas que ocorrem na boca, com ou sem relação com os dentes, como doenças imunológicas, cistos, tumores benignos e câncer.