Desfralde: o certo e o errado
Seu filho já está indo à escolinha, e você quer começar a prepará-lo para “sair das fraldas”? O processo em que a criança passa a ter o controle do esfíncter e de seu corpo é uma etapa do crescimento, como começar a andar, por exemplo.

Publicidade

O Manual da Mamãe encontrou algumas dicas para tirar suas dúvidas, saber qual a hora certa e auxiliar o pequeno nesta hora.

• Muitos médicos defendem a idade mínima de 18 meses para começar o processo, outros recomendam que se espere um pouco mais, até os dois anos. Os meninos demoram em média dois meses depois das meninas. A criança vai dar sinais claros quando estiver pronta.

• Seu filho precisa sentir que o uso do peniquinho é uma conquista dele e não apenas algo que faz para agradar aos pais.

• Se seu filho já está na escola, o primeiro passo deve ser conversar com as professoras. Mesmo que pais e professores estejam trabalhando juntos, a criança deve encontrar na família apoio e cumplicidade. Sendo assim, não deve haver punições caso ocorra algum “acidente”.

• É bom que a criança possa ver como o adulto usa o vaso. O uso de exemplos é mais seguro e tranquilo, porque diminui a ansiedade dos pais e, consequentemente, das crianças.

• Uma preocupação excessiva dos pais com o cocô pode fazer com que a criança passe a manipular a situação, decidindo se vai dar ou não o que eles tanto desejam. Não trate o “produto” como algo ruim, pois vai despertar nojo na criança.

• Se você já iniciou o processo e esteja se perguntando: será que fiz tudo errado? Primeiro, é preciso lembrar que os pais aprendem com seus erros. Se você percebe que as coisas não estão funcionando, converse com o seu pediatra!

• A melhor época do ano para desfraldar é o verão, porque os pequenos ficam mais incomodados com a fralda, por causa do suor e o calor.

• Não é legal oferecer presentinhos, pois é apenas uma outra forma de pressão em que você tira da criança o prazer dessa conquista.

• Se a criança demonstrar interesse, deixe-a sentar no penico de roupa ou de fralda. Fique ao lado dela, conte uma história, converse. Se ela quiser sair, permita.

• Depois que ela fizer cocô na fralda, leve-a para esvaziá-la no penico. Se a criança se mostrar incomodada, não o faça até que se desinteresse das fezes. Lave as mãos dela como você faz. Repare se ela se mostra interessada na rotina.

• Pergunte se ela gostaria que você a ajudasse a ir ao penico. Ela pode surpreendê-lo e realmente usá-lo pela primeira vez.

• Se a criança fica no penico e depois faz xixi no chão, se debate quando a fralda é tirada, ou se esconde em um canto para fazer cocô na fralda, ela ainda não está pronta para o processo.