Dentes para fora: sabia que a chance de trauma é maior nesses casos?
Você sabia que crianças e adolescentes com dentes para fora têm 90% de chances a mais de sofrerem um trauma dentário? Papais e mamães, fiquem alertas caso os dentes superiores do seu filho não tenham contato com os inferiores, pois quem protege os dentes de cima são os de baixo.

Publicidade

Segundo a odontopediatra da iCeo Kids, Dra. Lucienne Carvalho, uma forma de prevenir a perda de um dente por fraturas ou outro tipo de trauma é a remoção da chupeta e da mamadeira no momento correto e, principalmente, prevenir a síndrome do respirador bucal e interposição de língua com o uso do aparelho Habito Corrector, que ajuda a criança a respirar pelo nariz, evita o ranger de dentes e treina a postura de língua para engolir e falar melhor.

Muitas vezes os pais ficam sem saber o que fazer para que os dentes de seus filhos não sejam afetados nas pancadas, nas diversas quedas comuns que podem ocorrer com a criança no seu dia a dia. A ortodontista da iCeo Kids Dra. Paulene Cardoso afirma que corrigir as mordidas abertas (foto), mordidas cruzadas e alinhar os dentes dos seus filhos o mais cedo possível com a remoção dos maus hábitos e com o uso de aparelhos preventivos e miofuncionais, como o Habito Corrector, além dos ortopédicos, pode prevenir ou mesmo evitar o uso de aparelhos fixos no futuro.

Quando o trauma acontece

Mas se mesmo com a prevenção o trauma acontecer, a Dra. Lucienne enfatiza que se ocorrer até mesmo um pequeno sangramento ao redor da área afetada, o que tecnicamente é chamado de subluxação, é indicado procurar o mais rápido possível um odontopediatra para fazer o diagnóstico da lesão, além de um raio-x, realizar escovação supervisionada e o uso da laserterapia.

A equipe iCeo Kids alerta que procurem o check-up de trauma dental nos vinte primeiros minutos após o acidente para que o tratamento tenha mais chances de sucesso. “É assim que se salva um dente. Não deixe nada para depois. Procure o dentista imediatamente”, aconselha.

Se, por outro lado, houver perda do dente e não for possível fazer o reimplante, a Dra. Paulene recomenda o uso do aparelho mantenedor do espaço com pino de desconexão para melhorar a mastigação e socialização da criança.