Como é a visão do bebê?
O que o recém-nascido consegue enxergar?” Essa é uma pergunta bastante comum entre mamães e papais. Ao contrário do que muitos podem pensar, o bebê já nasce sabendo enxergar, porém sua visão ainda é muito limitada. “O recém-nascido enxerga de forma embaçada. Ele só vê com nitidez objetos e pessoas a 30 ou 40 centímetros de distância, a média entre a posição de amamentação e o rosto da mãe. Nesse momento, ele enxerga o rosto da mamãe com bastante foco”, explica a oftalmologista Dra. Márcia Cartaxo.

Publicidade

No início, é como se os bebês vissem o mundo através de um vidro embaçado. Entretanto, à medida que crescem, a visão evolui. A Dra. Márcia Cartaxo ressalta que, nesta fase da vida, há alterações rápidas no olho e sistema nervoso do bebê, que permitem o desenvolvimento normal da visão. “Ao nascer, o sistema visual do bebê é imaturo. Durante os primeiros meses, a acuidade visual melhora e a visão de profundidade do bebê se desenvolve”, informa.

Segundo a Dra. Márcia, a maior parte do amadurecimento visual ocorre nos três primeiros anos de vida, mas ainda há possibilidade de mudança e evolução entre 3 e 9 anos, havendo variações bastante individuais. Já o período em que fatores oculares ou externos podem interferir negativamente no desenvolvimento da visão vai, em média, até os 6, 7 anos de idade, quando uma perda visual pode ser tratada ou revertida.

EVOLUÇÃO VISUAL DO BEBÊ

Recém-nascido: o bebê só percebe figuras com alto contraste; os movimentos oculares são imaturos, com incapacidade de acompanhar objetos em deslocamento; o olho do bebê tem 2/3 do tamanho do adulto;

4ª semana: o bebê passa a fixar e, às vezes, seguir objetos e também a olhar para o rosto da mãe quando mama;

2º mês: quando se inicia a diferenciação das cores pelo bebê, que continua a evoluir até o início da adolescência;

3º a 4º mês: a percepção do movimento se iguala à do adulto neste intervalo;

3º a 5º mês: desenvolvimento da estereopsia (visão de profundidade) do bebê;

4º mês: o bebê passa por um refinamento da fixação e acompanhamento dos objetos;

6º mês: coordenação da movimentação ocular; o campo visual com valores do adulto;

6º a 8º mês: definição da cor do olho do bebê.

Merecem atenção alguns sinais do bebê, como incapacidade de fixar o olhar no rosto da mãe ou em um objeto colocado bem próximo a ele, após a quinta semana de vida, e também, por volta do sexto mês, a falta de coordenação entre os dois olhos. Em caso de dúvida, consulte um oftalmologista!