Como a retinopatia da prematuridade pode afetar a visão do bebê?
A retinopatia da prematuridade é uma doença ainda não muito conhecida pelos pais, mas que precisa ser compreendida. Atinge principalmente os bebês prematuros ou com baixo peso ao nascer. E é hoje a maior responsável pela cegueira prevenível na infância. “A retinopatia da prematuridade é uma enfermidade que ocorre pelo desenvolvimento desorganizado dos vasos sanguíneos que suprem a retina, camada mais interna do bulbo ocular, do bebê. Esses vasos podem sangrar e, em casos mais graves, a retina pode descolar e ocasionar a perda da visão da criança”, explica o oftalmologista Dr. Fernando Ferreira.

Publicidade

Isso acontece com mais frequência nos bebês prematuros, devido à imaturidade desses vasos sanguíneos. Os vasos terminam de se formar até o final da gestação e nos prematuros não estão totalmente formados. Os bebês com menos de 30 semanas de gestação e com peso inferior a 1,5 kg são os mais propensos. Já as crianças com peso entre 1,5 kg e 2 kg ou 32 semanas, com curso clínico instável, incluindo aqueles que necessitam de suporte cardiorrespiratório e os que estejam em risco, segundo critério do neonatologista, também podem ser acometidos pela doença.

O primeiro exame deve ser realizado entre a quarta e sexta semana de vida. “O exame deve ser realizado pelo oftalmologista com experiência em mapeamento de retina em prematuros e conhecimento da doença para identificar a localização e as alterações retinianas sequenciais”, informa o médico.

Segundo o Dr. Fernando, o exame de rotina de prematuros possibilita a identificação de formas graves da doença, cujo tratamento por fotocoagulação ou crioterapia pode reduzir significativamente a cegueira por retinopatia da prematuridade. “Dependendo do estágio em que se encontra o fundo de olho, no momento do exame, tem-se apenas 72 horas pensando em obter algum prognóstico.” Diante disso, dá para se ter noção da importância da avaliação e do exame na hora certa. Atualmente, existe uma tendência em intervir cirurgicamente cada vez mais precocemente.

É fundamental que os pais sejam informados da importância da avaliação das crianças prematuras, do risco de cegueira e que o acompanhamento na época adequada é essencial para o sucesso do tratamento. O Dr. Fernando ainda aconselha: “Mãe, leve seu bebê a um oftalmologista dentro dos primeiros 30 dias se ele nasceu no período apropriado. Se a criança for prematura, solicite uma avaliação oftalmológica na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).”