Bebês prestam mais atenção a sons com voz exagerada

Você tem "conversa de bebê" com seu filho? Um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, Estados Unidos, aponta que bebês prestam mais atenção aos sons cantados e exagerados - independentemente dos idiomas que estão acostumados a ouvir.

O resultado já havia sido apontado após estudos com bebês monolíngues, mas desta vez a constatação também envolve bebês expostos a duas línguas – e o resultado foi o mesmo.

Como fazer
De acordo com a pesquisa, a chamada “conversa de bebê” ajuda as crianças a aprenderem a falar, mas isso não significa falar errado ou trocar sílabas, por exemplo. A “conversa de bebê”, na verdade, usa palavras adequadas, ditas corretamente, mas em um tom monótono prolongado e exagerado.

“A fala infantil tem uma velocidade de fala mais lenta em todos os idiomas, com tom mais variável e é mais animada e feliz”, explica Sundara. “Varia principalmente em quão exagerado é.”

Estudo
Para o estudo, os pesquisadores observaram 333 bebês bilíngues e 385 bebês monolíngues, em 17 laboratórios de 7 países. Esses bebês foram testados em duas faixas etárias: 6 a 9 meses (a amostra mais jovem) e 12 a 15 meses (a amostra mais velha).

Cada bebê ficava sentado no colo dos pais enquanto uma mãe falava usando fala dirigida por bebês ou por adulto, tocadas em alto-falantes à esquerda ou à direita. O rastreamento do computador mediu quanto tempo cada bebê olhou na direção de cada som - tomado como uma indicação de seu interesse.

A conclusão é de que as sílabas prolongadas e o tom de uma canção cantada são mais atraentes para os bebês, mesmo quando eles não estão familiarizados com a língua falada.

Publicidade

Via Revista Crescer

 

Para mais conteúdo, siga o Manual da Mamãe no Instagram @manualdamamae 

Acesse também nossa página no Youtube: youtube.com/manualdamamae 

Você pode contar também com o curso Estou Grávida, e Agora? São videoaulas para acabar com todas as inseguranças da gestação e dos primeiros cuidados com o bebê. Saiba mais em: www.manualdamamaeip.com