Alergias mais comuns na infância
Atualmente, as doenças alérgicas nas crianças são cada vez mais comuns. Trabalhos científicos evidenciam que o início desses quadros é bastante precoce e a sua duração cada vez maior. Asma, rinite alérgica, alergia alimentar, dermatite atópica e o lactente sibilante (bebê chiador) são os quadros alérgicos mais comuns. De acordo com o alergista e imunologista Dr. Hermínio Ramos nos últimos anos surgiram inúmeros avanços na área, como protocolos inovadores que usam medicamentos para prevenção e tratamento das crises de asma e rinite alérgica. “Esses medicamentos apresentam maior efeito local, com menor absorção pelo organismo levando à redução dos efeitos colaterais”, explica.

Publicidade

Nos pacientes alérgicos, o teste cutâneo de leitura imediata possibilita identificar e dimensionar de forma muito específica a intensidade da sensibilização a cada alérgeno respiratório. “Essa informação permite realizar um controle ambiental mais efetivo e em casos selecionados iniciar a imunoterapia (vacinas em alergia), manipulada sob os mais rígidos controles de segurança especificamente para cada paciente, otimizando a eficácia do tratamento”, informa o Dr. Hermínio.

Crianças com suspeita de alergia alimentar necessitam de uma avaliação ampla e acurada, para determinar qual o alimento específico relacionado ao quadro e se há ou não a necessidade de excluir alimentos e seus derivados da dieta, enfatiza o Dr. Hermínio. Essa avaliação é extremamente importante, já que a infância é o período de maior crescimento e desenvolvimento das estruturas do organismo. Nessa faixa etária, a restrição dietética ampla e sem critérios muito bem definidos pode impactar negativamente no crescimento, desenvolvimento, qualidade de vida do paciente e de seus familiares.

“A avaliação com um especialista em Alergia e Imunologia levará à prevenção adequada, ao controle apropriado e precoce dos quadros, permitindo a reintegração rápida da criança a suas atividades escolares, sociais e recreativas”, ressalta.