A visão da criança merece atenção especial. Saiba o que fazer
De todos os sentidos, a visão é a responsável por 80% do relacionamento do bebê com o mundo que o cerca, influenciando todo o processo do desenvolvimento neuropsicomotor nos primeiros anos de vida. Grande parte das doenças que causam deficiência de visão e cegueira na infância é prevenível ou tratável se descobertas precocemente.

Publicidade

Segundo a oftalmologista Dra. Juliana Botelho, os cuidados com a saúde visual da criança podem e devem começar no planejamento familiar, antes mesmo da gestação, e se estender até os 10 anos de idade, quando se dá o completo amadurecimento de todas as funções visuais. Assim, as visitas regulares ao médico oftalmologista desde o primeiro ano de vida são fundamentais nesse processo.

A normalidade dos olhos deve ser avaliada desde o nascimento por meio do Teste do Olhinho. Ele é de fácil realização e avalia o reflexo vermelho do fundo dos olhos para garantir que as lentes e os meios dos olhos estejam com sua transparência preservada. Deve ser realizado, de preferência, nos primeiros dias de vida.

“O Teste do Olhinho pode detectar problemas como catarata e glaucoma congênitos, problemas de má-formação das córneas, hemorragias e inflamações dentro dos olhos, assim como tumores dentro dos olhos, como o retinoblastoma, que já podem estar presentes no nascimento”, explica a médica.

Em alguns prematuros, por exemplo, será necessária a realização, além do Teste do Olhinho, do mapeamento de retina para o diagnóstico da retinopatia da prematuridade. “Esse exame é de fundamental importância nesses pacientes e deve também ser realizado no primeiro mês de vida por oftalmologista treinado nessa área”, acrescenta. Depois disso, de maneira geral, informa a médica, a criança deve realizar exame oftalmológico completo aos 6 meses de idade e então ser reavaliada anualmente até os 10 anos.

Percepção

Falta de contato visual após os dois meses de idade, lacrimejamento, secreção nos olhos, vermelhidão, inchaço nas pálpebras, olho baixo, alteração do reflexo dos olhos em fotografias (um olho branco e um olho vermelho, por exemplo), olho desalinhado ou torto após os quatro meses de vida, intolerância à luz (fotofobia), desinteresse por atividades comuns da idade, dores de cabeça e preguiça para ler em crianças mais velhas são sinais que precisam ser avaliados pelo médico oftalmologista.