A importância da primeira dentição para a saúde bucal da criança
O nascimento dos dentinhos do bebê representa uma fase importante do seu desenvolvimento. Porém, os dentes decíduos cumprem mais que a função estética e a de mastigação: eles participam ativamente da fonação e atuam decisivamente no desenvolvimento das bases ósseas que receberão os dentes permanentes. Muitos fatores podem afetar a harmonia necessária ao correto desenvolvimento das estruturas dentárias e faciais. O ortodontista Dr. Rafael Machado e a odontopediatra Dra. Fabiana Machado citam alguns deles e as consequências mais comuns deles advindas:

Publicidade

HIGIENE BUCAL: é um, se não o mais importante, fator de garantia de um bom desenvolvimento das estruturas dentofacias. A visita ao odontopediatra durante o período de gestação é importante para que a futura mamãe receba as orientações necessárias aos procedimentos de higiene corretos desde os primeiros dias de vida de seu bebê. Os cuidados com a higiene bucal devem ser iniciados antes mesmo do aparecimento do primeiro dente. Os dentes decíduos são muito importantes para que a criança tenha uma boa mastigação, além de garantir o bom desenvolvimento das bases ósseas e da preservação dos espaços necessários no momento das trocas dos dentes decíduos pelos permanentes.

DIETA: a amamentação no seio materno tem fator primordial no desenvolvimento da mandíbula especialmente nos primeiros meses de vida da criança, pois o bebê nasce com osso da mandíbula pouco desenvolvido para auxiliar o parto. Após a fase exclusiva do leite materno, dietas ricas em alimentos duros, secos e fibrosos dão sequência a estímulos muito importantes para a continuidade do desenvolvimento dentofacial.

HÁBITOS DELETÉRIOS: o uso prolongado de chupeta, sucção digital, respiração bucal, onicofagia, entre outros, podem gerar estímulos indesejáveis, podendo levar a assimetrias faciais significativas, mordidas abertas, mordidas cruzadas etc.

INTERPOSIÇÃO LINGUAL: a interposição lingual entre os dentes durante a fala e/ou deglutição também pode gerar problemas dentários, necessitando, em algumas situações, do auxílio de fonoaudiólogo na terapia. Esses problemas devem ser identificados nas consultas de rotina da criança e, quando necessário, podem requerer intervenções diretas, com aplicação de resina sobre determinadas regiões, ou indiretas, com o uso de aparelhos ortopédicos removíveis.

"O odontopediatra e o ortodontista são os profissionais capacitados para identificar alterações dentárias e de desenvolvimento bucal nas crianças e adolescentes, por isso é muito importante ter um profissional qualificado e de sua confiança para que você possa entregar a ele a responsabilidade de zelar pela saúde bucal de seu filho."